Projeto Comunicar
PUC-Rio

  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram

Rio de Janeiro, 26 de junho de 2022


Esporte

Uniformes de Pequim saem da Gávea

Guilherme Costa - Do Portal

07/08/2008

Às vésperas da cerimônia de abertura dos jogos olímpicos em Pequim, que ocorrerá nesta sexta-feira, 8, quem acompanhou a estréia do Brasil, no futebol feminino, já pode conferir os novos uniformes da Comissão Brasileira. Embora a partida contra a Alemanha tenha ficado no 0x0, alguns brasileiros estão comemorando. Desenvolvidos pela casa de criação OEstúdio, os uniformes são mais uma vitória para a produtora, que foi selecionada pela Olympikus para a elaboração.

“Na reunião, a Olympikus nos mostrou algumas referências que eram fotos de looks que eles queriam como inspiração para os uniformes. E esses looks eram de coleções que tínhamos feito”, conta João Falcão, diretor executivo do OEstúdio e ex-aluno da PUC-Rio - não confundir com seu homônimo, e também pernambucano, o diretor de cinema e dramaturgo João Falcão.

Localizada na Gávea, em um ambiente tranqüilo, funciona a produtora, que tem em seu currículo diversos trabalhos de grande porte, desde o re-design da Cantão a um reposicionamento de marca da Fiat. “A Fiat queria participar do São Paulo Fashion Week, isso ha dois anos, mas não sabia como. Então, a gente começou a trabalhar esse conceito, que é onde OEstúdio consegue seu melhor”, afirma Falcão.

 O que era Fabrica de Automóveis Turinos (Fiat) deu espaço a uma nova marca, a Fashion Inovation Attitude, mas ambas convivendo em harmonia. E, a partir dessa idéia, a montadora tem participado do mundo da moda, todo ano convidando um estilista para desenvolver pecas, que são colocadas à venda. Com isso, a Fiat conseguiu se posicionar de forma estratégica para atingir um público sofisticado, que transita pelo universo da moda.

“A gente acredita que a arte cumpre um papel na sociedade e, considerando que as empresas são os principais agentes da transformação social no mundo de hoje, a gente quer levar a arte para a comunicação, para o marketing das grandes empresas. Esse é o nosso desafio. A gente quer que a arte tenha cada vez mais relevância na sociedade contemporânea”, conclui Falcão.