Projeto Comunicar
PUC-Rio

  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram

Rio de Janeiro, 15 de junho de 2024


Ciência e Tecnologia

Portas abertas para a informação

Bruna Santamaria e José Augusto Martini - Do Portal

09/10/2008

Cerca de cem mil pessoas visitaram, entre 19 e 22 de agosto, a 12ª Mostra PUC-Rio, maior feira de estágios do país. Quando, ao som de fogos de artifício, o reitor da universidade, Padre Jesus Hortal Sánchez, e o vice-reitor Comunitário e presidente da comissão da Mostra PUC-Rio, Augusto Luiz Sampaio, cortaram a fita inaugural, estava aberta a caça as quase quatro mil vagas para universitários, estudantes de pós-graduação, mestrado, doutorado e até para alunos dos ensinos médio e técnico. O campus reuniu estandes de 82 empresas, como Petrobras, AmBev e TV Globo.

No primeiro dia da mostra – aberta com a apresentação do Coral da PUC-Rio –, a professora Clarice Abdala, do Departamento de Comunicação, mediou uma palestra com os professores José Carmelo Brás, do departamento de Educação, Paulo César Motta, de Administração, e Lina Boff, de Teologia. O tema da discussão foi “Os desafios da inclusão do conhecimento numa economia globalizada”.

“Nossa universidade não prepara só para o mercado. Prepara também para uma sociedade solidária, cidadã e humana”, afirmou afirma o reitor, padre Jesus Hortal Sánchez S.J., ao comentar sobre o tema da edição desse ano.

Na XII Mostra PUC-Rio, as empresas ofereceram 51 workshops sobre todos os campos do saber. Na área de Comunicação, a jornalista Márcia Menezes, editora-chefe do G1, apresentou o portal aos universitários. “Pessoas na Internet buscam locais que integrem diversas funções e o jornalismo online tem espaço infinito, ilimitado”, explicou ela.

Segundo estudo do Ibope/Netratings, divulgado em maio de 2008, o Brasil tem cerca de 40 milhões de internautas. De olho nesse número e no potencial de crescimento, a Central Globo de Jornalismo criou, em setembro de 2006, o portal de notícias G1, hoje o portal de notícias brasileiro com o maior número de visitantes, também segundo pesquisa Ibope/NetRatings. Desde o início do ano foram 3,5 milhões de acessos por mês – o segundo colocado é a Folha Online com 3,4 milhões de visitantes.

Para Márcia Menezes, a forma como a informação é apresentada e a credibilidade da marca foram essenciais para o crescimento do site, que oferece conteúdo de jornalismo das diversas empresas das Organizações Globo. “Colhemos muitas notícias de diversas fontes no mundo inteiro, mas grandes portais têm entrado em contato para buscar conhecimento, entender o que está dando certo e fazer também”, explicou.

A agilidade da Internet exige um jornalista cada vez mais dinâmico e adaptado com essa nova realidade. Márcia Menezes contou que o perfil para trabalhar no G1 é de um profissional que escreva bem, seja ágil, leia muito e saiba falar mais de uma língua estrangeira. “É muito difícil conseguir estagiários com o nosso perfil”, revelou.

O jornalismo colaborativo – onde usuários participam da elaboração das reportagens ou sugerem assuntos – é uma das novas formas de se fazer comunicação. Saber em quem confiar e como passar a informação – de maneira fácil, interativa e não cansativa – têm sido os grandes desafios. Da mesma forma que a internet gera possibilidades ilimitadas, a chance de errar em tempo real cresce infinitamente. Márcia acredita que a linguagem de Internet está se formando, não é tão objetiva quanto a TV, nem tão específica como a de jornal. E como lidar com os erros? “Evite o erro, se errar corrija”.