Projeto Comunicar
PUC-Rio

  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram

Rio de Janeiro, 26 de junho de 2022


Cultura

“Gosto de colocar no papel o que se passa em minha alma”

Gustavo Rocha - Do Portal

02/06/2011

 Daniel Cavalcanti

Um cenário inusitado marcou o lançamento de Delirius Phrasicus, livro de crônicas do vice-reitor de Desenvolvimento da PUC-Rio, Sérgio Bruni. A cerimônia foi realizada na Cátedra Unesco de Leitura, na terça-feira (31/05). Na área externa, uma cobertura protegia cadeiras e palco de uma possível chuva. No tablado, um violonista tocava músicas nordestinas, seguido pela leitura de trechos do livro feita pelo poeta Manuel Herculano. Na área interna, um retrato do escritor Jorge Amado – próximo a uma mesa com vários exemplares da nova obra – dividia espaço com um telão em que o filme “Deus e o diabo na terra do sol” era exibido. O cenário montado pela Cátedra – muito “hollywoodiano”, segundo Sérgio Bruni – fazia claras referências ao conteúdo de Delirius Phrasicus: crônicas que revisitam cidades do sertão da Bahia, onde o autor viveu e passou os primeiros anos de vida.

 Daniel Cavalcanti – Tive uma infância muito ligada à área rural, à roça do sertão da Bahia, cujo povo fala, canta e festeja muito. O livro é um pouco sobre isso – afirmou Bruni, enquanto assinava exemplares. – Foi uma viagem no tempo muito interessante e, em alguns momentos, um pouco dolorosa, pois muitas das pessoas com quem convivi ali já se foram.

A cerimônia contou com a presença do reitor da universidade, o padre Josafá Siqueira, S.J. O reitor ressaltou a versatilidade de Sérgio Bruni.

– Ao revelar sua vocação de escritor, o vice-reitor e economista mostra que é alguém aberto a outras áreas do conhecimento, como a literatura e a poesia – celebrou o reitor.

A multidisciplinaridade de Sérgio Bruni também foi ressaltada por Ricardo Oiticica, integrante da Cátedra e organizador do evento. Segundo ele, o estilo de escrita do vice-reitor “é marcado por uma prosa poética”.

– É uma poesia e crônica que tendem a uma conversa com o leitor, característica, também, de seus livros infantis – analisou Oiticica.  Daniel Cavalcanti

A originalidade da cerimônia foi elogiada pela coordenadora de Graduação do Departamento de Comunicação Social, Sandra Korman Dib. Para ela, tratou-se de um evento em que se homenageou não só o escritor, mas também os convidados.

– Aqui, celebrou-se a leitura e a integração. Seria melhor se em todos os lançamentos de livro houvesse esse compartilhamento entre as pessoas, como o que houve aqui – disse a professora Sandra Korman.