Projeto Comunicar
PUC-Rio

  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram

Rio de Janeiro, 25 de junho de 2022


Cultura

Vencedor do Prêmio Camões nunca foi publicado no Brasil

Mauro Pimentel - Do Portal

31/05/2011

Divulgação

O maior prêmio da literatura portuguesa é de um escritor que nunca foi editado no Brasil. O autor português Manuel António Pina recebeu a honraria no último mês, dia 05/05, por seis jurados que representam Brasil, Portugal e os países africanos de língua portuguesa. A decisão do grupo, reunido na Biblioteca Nacional do Rio de Janeiro, foi unânime. O júri registrou na ata do encontro que o escritor mereceu o prêmio devido a "originalidade e diversidade de sua obra".

Logo em seu primeiro trabalho, Manuel Antònio Pina apresentou o gênero no qual desenvolveria grande parte de sua carreira. O livro infanto-juvenil O país das pessoas de pernas para o ar, de 1973, foi o primeiro de uma série de outras dez publicações para o público jovem. Em menor escala, Pina escreveu peças de teatro, poesias, crônicas e ficções. Sua obra mais recente é a peça teatral História do sábio fechado na sua biblioteca, de 2009. Outra faceta de Pina é o jornalismo. Entre 1971 e 2001, o autor escreveu reportagens para o diário português Jornal de Notícias. Atualmente mantém uma coluna no mesmo jornal onde escreve crônicas sobre o cotidiano de seu país.

Segundo o jurado do Prêmio Camões e membro da Academia Brasileira de Letras Antônio Carlos Secchin, o prêmio pode corrigir um erro histórico.

– É triste saber que um escritor de obra tão vasta não tenha trabalhos editados no Brasil – afirma Secchin, professor do Departamento de Letras da UFRJ. 

Para Secchin, a situação do escritor português exemplifica uma das funções que o Prêmio Camões deve exercer sobre o mercado editorial.

– O prêmio tem duas funções: apresentar e consagrar. A obra de Pina precisa ser introduzida nos países africanos e no Brasil. Espero que a exposição de seu nome devido a essa honraria sirva de cartão de visitas entre as editoras locais – disse Secchin.

Em declaração ao Portal PUC-Rio Digital, a Coordenação do Livro e Leitura da Biblioteca Nacional, responsável pelo prêmio no Brasil, disse acreditar que a premiação desperta interesse na publicação de autores estrangeiros de língua portuguesa no país. Segundo a coordenação, o Prêmio Camões é uma "oportunidade para o mercado editorial brasileiro publicar autores pouco conhecidos".

A ausência dos textos de Manuel Antònio Pina das livrarias brasileiras não é uma situação isolada para o professor Alexandre Montaury, do Departamento de Letras da PUC-Rio. Na opinião do acadêmico, a circulação defasada de obras literárias entre os países de língua portuguesa é um reflexo dos elos culturais interrompidos por décadas.

– É necessário que obras, autores e iniciativas literárias portuguesas, angolanas, moçambicanas, brasileiras e cabo-verdianas, entre outras, estejam disponíveis para os leitores, intelectuais ou não. Enquanto a literatura em língua portuguesa continuar confinada a seus países de origem, o Prêmio Camões não será nada mais do que o reconhecimento oficial à obra dos grandes artistas – disse Montaury.