Projeto Comunicar
PUC-Rio

  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram

Rio de Janeiro, 21 de julho de 2024


Campus

Seminário discute peso dos BRICS na política externa

Carina Bacelar - Do Portal

13/05/2011

A sigla BRIC, criada pelo economista americano Jim O'Neill, extrapolou uma mera categorização acadêmica. Brasil, Rússia, Índia e China, considerados potências emergentes, caminham a passos largos para a criação de um bloco econômico e político. À luz dessa ascensão, o Instituto de Relações Internacionais discutirá, no seminário BRICS e a reforma e a governança econômica global, na PUC-Rio, as atitudes e perspectivas desse grupo diante de um cenário internacional (ainda) abalado pela crise econômica, às voltas com a desvalorização do dólar e cada vez menos liderado por uma potência hegemônica. A série de palestras, de 16 a 20 de maio, marcará a inauguração do Centro de Estudos da PUC a Respeito dos BRICs (BRIC Policy Center, sediado em Botafogo) e reunirá especialistas de diversas áreas, inclusive de instituições do exterior.

Entre os destaques, estão as palestras do economista indiano Vinod Thomas, diretor do Órgão de Avaliação Independente do Banco Mundial e a do também economista Paulo Nogueira Batista Jr., diretor executivo do Fundo Monetário Internacional. Segundo o professor de relações internacionais da PUC Alex Jobim, um dos organizadores do seminário, "como a referência BRIC ainda é recente, a questão ainda merece ser debatida e aprofundada”.

 – Ela ainda não foi pensada da forma que seve ser. Vamos reunir especialistas, acadêmicos e empresários. Esperamos que desse debate possa sair um melhor mapeamento da questão. – afirma Jobim.

Jobim destaca o G20 como um marco de que há uma nova dinâmica na liderança global, e essa dinâmica ainda não foi abordada com profundidade:                                                                                                                                                                                               um – Os BRIC’s têm um papel de relevância no G20. De certa forma, esse alargamento do G7 seria pra incluí-los. Essa discussão sobre a reforma da governança internacional e as medidas para solucionar a crise econômica elevaram o papel desse grupo de países – avalia.

No seminário, quatro mesas debaterão, em especial, o posicionamento brasileiro nesse tabuleiro internacional: "Perspectivas econômicas dos BRICS para o Brasil", "O papel dos BRICS para o Brasil", "Os BRICS e a política internacional" e "Cooperação Científico-Tecnológica entre os BRICS". Alex Jobim esclrace que o país será abordado não só nessas quatro últimas mesas, mas, dependendo dos participantes, também aos longo do seminário.

A programação completa está disponível no endereço http://www.seminarbpc.org/programa