Projeto Comunicar
PUC-Rio

  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram

Rio de Janeiro, 21 de julho de 2024


Campus

VII POSCOM destaca mudanças do cotiadiano

Caio Lima - Do Portal

29/11/2010

Dedicado aos desdobramentos da comunicação contemporânea, o VII Seminário dos alunos do Programa  Pós-graduação em Comunicação Social da PUC-Rio, nos dias 22, 23, 24, na sala 102-K, reuniu visões distintas sobre as influências da internet na sociedade e na formação profissional. O POSCOM é uma oportunidade para professores da área e alunos mestrandos apresentarem suas pesquisas aos estudantes. O professor Miguel Pereira, coordenador do mestrado, destacou a importância dessa interação de informações, "no momento em que os pós-graduandos estão desenvolvendo projetos". Convidada para abrir o seminário, a professora Marialva Barbosa, da Universidade Tuiuti-PR, reforçou a abertura à troca de visões:

 – É a melhor maneira de trocar conhecimento por conhecimento com o aluno.

Marialva destacou também o que considera um paradoxo estabelecido com a chegada da web 2.0. Segundo a professora, o armazenamento de textos nos dias atuais "é mais complicado". Ela argumenta que, embora o acesso aos mais variados temas esteja facilitado, por outro, as pessoas tendem a armazená-los em pastas dentro do computador, "ficando esquecidos na memória". Marialva também diz que as pessoas de gerações mais antigas se espantam com as ferramentas da internet, porém não acredita que os jovens sejam os principais influenciadores de conteúdos na rede.

A formação do comunicador na contemporaneidade também foi assunto nesta edição do POSCOM. Teresa Cristina Freire, graduada em comunicação pela Universidade Federal Fluminense (UFF) e mestranda pela PUC-Rio, mostrou seu estudo sobre a formação do profissional de comunicação, pensando-o como cidadão. Teresa usa, como exemplo, seu trabalho realizado na Escola Livre de Cinema de Nova Iguaçu, espaço para jovens de baixa renda que forma profissionais de cinema e busca ampliar a visão crítica individual. Para a coordenadora do Departamento de Comunicação da PUC-Rio, Sandra Korman Dib, essa tarefa é fundamental para lapidar o grande comunicador:

 – Na prática docente com os alunos, o exercício deve ser o de fazê-los refletir, observar e questionar, transformando-os em verdadeiros investigadores.

A mudança nas relações dos indivíduos, muito abordada na era tecnológica, também integrou o painel de apresentações e discussões. O mestrando João Vitor Gonçalves, graduado também pela PUC, toma a amizade como referência em sua dissertação. Ele aponta como sites de relacionamento facilitam a construção de amizades, mas  esclarece a diferença entre a "amizade informatizada" (online) e a amizade com contato físico (offline):

– É difícil imaginar que a internet produz amizade efetiva, como antigamente. 

Já a estudante  Julia Salgado de Souza, da Escola de Comunicação da Universidade Federal do Rio de Janeiro (ECO–UFRJ), apresentou estudo sobre a mudança no comportamento dos jovens. Ela aborda como a internet passou a ser importante mediadora das práticas de resistência e contestação dos jovens. Segundo a pesquisa, há 15 anos a rebeldia dos jovens era mais concreta. Para a estudante, não se trata de falta de ideais nos jovens do século XXI, e sim da diversidade de conteúdos expostos na web, que geram constantes mudanças de opinião em curto tempo. Como base, Julia comparou duas séries televisivas (Confissões de Adolescente e Ger@l.com) voltadas para o público juvenil em temporalidades distintas (1994 e 2009, respectivamente).

Ao fiml das apresentações do terceiro e último dia, a professora Adriana Braga, uma das coordenadoras do seminário, parabenizou os trabalhos e elogiou o espírito de autoria.

 – Só expondo seu estudo que o profissional cresce na sua área – sintetizou Adriana.