Projeto Comunicar
PUC-Rio

  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram

Rio de Janeiro, 17 de junho de 2024


Cultura

Novo humor, novas caras

Frederico Rocha - Da sala de aula

22/11/2010

 Arquivo Pessoal Pensamento rápido, ritmo e sarcasmo. Não existem personagens ou caracterizações. Vale o texto, que trata, fundamentalmente, do cotidiano. Estes são os requisitos da “stand-up comedy”, a nova sensação da comédia que ganha cada vez mais espaço entre crianças, jovens e adultos.  O mais novo rosto entre os já consagrados Marcelo Adnet, da MTV, Gregório Duduvier, da Globo, e Rafinha Bastos, Danilo Gentili e Marco Luque, apresentadores e repórteres do CQC da Band, é Guilherme Arcanjo, aluno do curso de publicidade na PUC-Rio.

Com apenas 21 anos, é o mais jovem ator a participar da primeira peça de stand-up comedy do Brasil, o Comédia em Pé. A peça, em cartaz desde fevereiro de 2005, é formada por Cláudio Torres Gonzaga, Fernando Caruso, Paulo Carvalho, Fábio Porchat e Léo Lins. Dividida em diversos quadros, não há roteiro e as apresentações sempre trazem convidados conhecidos ou não do público. Para abrir espaço ao novo, os humoristas criaram o quadro Mico Aberto, no qual humoristas amadores podem apresentar seus textos ao público do stand-up. Nesta abertura Guilherme Arcanjo conquistou sua chance.

Quando enviou seu texto para o diretor Fernando Caruso, Guilherme se surpreendeu com os elogios e o convite para, duas semanas depois, se apresentar no palco do Teatro dos Grandes Atores. Usando o mesmo script já mostrado aos amigos e colegas de curso durante o semestre, com modificações e aperfeiçoamentos, Guilherme foi muito bem recebido pelo público do Comédia em Pé. Mais de 400 pessoas aplaudiram a apresentação de Guilherme e ele já está escalado para mais uma oportunidade. Ele atribui seu sucesso à troca de experiência com os colegas da universidade:

- A PUC é cheia de gente bem humorada e crítica. Eu testo todo material novo de stand-up, ou não, com a galera de comunicação, para ter uma idéia do que funciona e do que é ruim. Sem esse laboratório acho que seria mais difícil pra mim.

Além de Guilherme Arcanjo, a professora de Comunicação e Teatro da PUC-Rio Vera Novello também acredita que a relação com o cotidiano é fundamental. O stand-up comedy é feito do dia-a-dia e o locutor, que narra em primeira pessoa, deve estar por dentro das novidades da rua para dar ao público diferentes motivos para rir. Segundo Vera, a sintonia com o público é a chave para uma apresentação de sucesso:

- O raciocinio é fundamental. Deve se colocar os fatos, construindo-os, buscando a maneira certa de atingir a plateia. Saber o que está sendo falado. E a abordagem da mesma forma. Não existe um personagem, mas há um ponto de vista.

Hoje Guilherme prepara seu segundo trabalho e já conta com mais de dez textos para futuras apresentações. O desempenho de Arcanjo no Comédia em Pé está na internet e já foi visto por mais de 1300 pessoas. Apesar do sucesso no mundo virtual e entre os amigos, ele não encara o humor de maneira profissional, mas apenas pelo prazer de se apresentar e de fazer os outros rirem:

- Acho que vou trabalhar mais pra aumentar meu material e fazer dessa brincadeira uma carreira. Mas se não der certo, paciência. É um negócio gostoso de fazer, vale só pela diversão. Não sei como um comediante stand-up pode evoluir, mas se tudo der certo, me pergunte daqui a uns dois anos.

Interessados em participar do Mico Aberto do Comédia em Pé, assim como Guilherme, devem mandar seu texto para contato@comediaempe.com.br. Ele será avaliado pelos humoristas e, se aprovado, o aspirante a comediante será convidado a participar do espetáculo.