Projeto Comunicar
PUC-Rio

  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram

Rio de Janeiro, 21 de julho de 2024


Campus

Reitor ressalta o advento em Café Teológico

Fernanda Miranda - Do Portal

18/11/2010

 Stéphanie Saramago

Realizado no salão da Pastoral, o café teológico com o reitor, mediado pelo coordenador da instituição, padre Alfredo Sampaio, reuniu professores, funcionários e estudantes. Levando a mensagem de Natal aos presentes, o reitor padre Josafá Siqueira, S.J., explicou o significado do tempo do advento.

O advento começa às vésperas do domingo mais próximo do dia 30 de novembro e vai até as vésperas do Natal. Segundo o reitor o advento é o momento de alimentar as esperanças e reordenar a própria vida, é o momento de abrir os braços para Deus e deixar um pouco de lado as obrigações do dia-a-dia.

− Pessimismo não combina com a vida cristã − afirmou.

O reitor explicou para os presentes a importância da esperança, mostrando que ela levou a PUC a superar tempos difíceis e que todas as coisas boas feitas pela universidade foram retribuídas. Para ele, a solução é confiar mais em Deus e entender que “o tempo do relógio não é o tempo de Deus”.

Padre Josafá Siqueira pediu que nesse período do advento Deus lhe dê sabedoria para manter a organização e que abençoe a universidade e toda a comunidade educativa.

 Stéphanie Saramago Seguindo o tema “preparando um mundo melhor”, o coordenador do Núcleo Interdisciplinar de Meio Ambiente (NIMA) professor Luiz Felipe Guanaes explicou que a sociedade está vivendo uma “falta de sol”. Para ele, o ser humano teve dificuldade de perceber que sua vida dependia de outras vidas e agora a natureza não consegue mais absorver as mudanças feitas pelo homem.

Segundo o professor, o começo da solução é olhar para dentro de si e transformar a crise ambiental em um problema individual. Guanaes explicou que não devemos nos submeter à percepção da catástrofe que ocorre hoje no meio ambiente, para "não gerar apatia".

− Quantos de nós viemos sozinhos de carro para a PUC hoje em vez de se juntar a amigos e usarem um carro só? – perguntou.

O coordenador afirmou que a agenda ambiental da universidade é o primeiro passo nesse longo caminho da busca por esse sol perdido.