Projeto Comunicar
PUC-Rio

  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram

Rio de Janeiro, 21 de julho de 2024


Campus

Festival reúne João Donato, Dead Fish e MC Sapão

Caio Lima - Do Portal

16/11/2010

Arte: Mauro Pimentel

A PUC-Rio comemora 70 primaveras com uma série de atividades inspiradas na estação. Desta terça até a próxima sexta-feira, o décimo Festival de Primavera acrescenta à tradição musical novidades como exibição de curtas, exposições de fotografia e artes plásticas, apresentações de teatro, palestras e debates. Organizado pelo Diretório Central de Estudantes (DCE), o festival pretende expandir as fronteiras culturais.

– Sempre buscamos aumentar a cultura interna da PUC e finalmente conseguimos abordar todas as iniciativas – observa Julia Moulin, uma das organizadoras.

A pluralidade reflete-se na programação musical que combina, por exemplo, João Donato e a Velha Guarda da Portela. Luisa Pinaud, participante também da organização, reconhece que as atrações ecléticas podem desagradar determinado público. Mas ressalva: “Isso não é um problema. É uma forma de respeitar o pluralismo da faculdade, que é muito importante”.

O cinema ganha importância nesta edição do festival. Na quarta-feira, 17, a partir das 14h, serão exibidos filmes de curta duração na sala 102-K. As sessões continuam na quinta-feira, 18, e nas sexta-feira, 19, porém com início às 15h. Destaque para a apresentação do filme Utopia e Barbárie com a presença do diretor, Silvio Tendler, professor do curso de cinema da PUC-Rio. Está marcada para as 11h de sexta.

No repertório de oficinas, a Ateliê dos Sentidos chama a atenção pela originalidade. Organizada por alunos do Departamento de Psicologia, aborda como se alcança autoconhecimento por meio das artes. A tenda ficará aberta em frente ao pilotis, na quarta e na sexta-feira, a partir das 15h.

O Festival da Primavera abre espaço também para discussões atuais, como às referentes ao futuro dos veículos de comunicação. Na quarta-feira, o jornalista André Trigueiro, professor da PUC-Rio, explicará o Papel da mídia no século XXI. A palestra está programada para as 9h, na sala 102-K. Já na quinta, haverá o debate Cultura Afro A musicalidade e teatralidade de contextualização negra: Valorização do canto e dança afro, às 13h, nos pilotis.

Banda chilena no cardápio

A programação musical, fio condutor da feira, começa todos os dias às 17h, no ginásio. Depois da apresentação de bandas formadas por alunos, um show principal fecha a noite, por volta das 21h: Sogoro Cosongo na terça; João Donato, na quarta; e duas atrações na quinta: Velha Guarda da Portela e MC Sapão animam a festa. Na sexta-feira, os capixabas do Dead Fish fazem o show de encerramento do festival. A banda chilena Humana também tocará neste dia.

A programação diária mostra-se eclética. Das 10h às 16h, Slack Line nos pilotis. Das 12h às 15h, DJs na casa do DCE na Vila dos Diretórios. Das 8h às 11h, oficinas de massagem no bosque. Em horário integral, exposição de fotos, colagens e pinturas no Cardeal Leme.

Carnaval antecipado

Nesta terça-feira, às 16h, um bloco de carnaval sai do campo de futebol para o ginásio. Na concentração, estão previstas falas do reitor da universidade, padre Josafá Carlos de Siqueira, S.J., e o vice-reitor Comunitário, padre Francisco Ivern Simó. Eles abrirão oficialmente a programação. A festa inclui, naturalmente, um bolo comemorativo das 70 primaveras da PUC. Para Julia, a integração do festival ao calendário de comemorações representa um presente à universidade:

– Coroa a grande história da PUC-Rio.

A programação completa do X Festival de Primavera é encontrada no endereço http://festivaldeprimaveradce.blogspot.com/