Projeto Comunicar
PUC-Rio

  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram

Rio de Janeiro, 25 de junho de 2022


Cidade

Experiência alemã contribui para conservação urbana

Daniel Cavalcanti - Do Portal

19/10/2010

Com planejamento urbano, o governo alemão tem sido eficiente no enfrentamento de um dos principais problemas hoje de toda grande cidade: conciliar crescimento, desenvolvimento econômico e consciência ambiental. A conclusão foi apresentada pelo pesquisador Konrad Schliephake, da Universidade de Würzburg, em sua palestra apresentada no I Simpósio Internacional Geografia e Meio Ambiente: pontes para a interdisciplinariedade, na segunda-feira, 18 de outubro. Para Schliephake, a experiência alemã tem muito a contribuir às mais graves questões ambientais das metrópoles brasileiras.

Segundo ele, com o objetivo de ficar abaixo dos limites de emissão de CO2 propostos pelo protocolo de Kyoto até 2012, o governo alemão tem investido em pesquisas no campo da geografia e do planejamento urbano.

– Com as projeções encontradas nas pesquisas, sabemos o que vamos precisar para planejar esse crescimento no futuro sem que haja impacto sobre o meio ambiente – explicou Schliephake.

Segundo o acadêmico, a preocupação com o meio ambiente deve ser o ingrediente natural do desenvolvimento econômico de qualquer país, pois somente da natureza retiramos nosso sustento.

– Embora os planejadores regionais queiram reutilizar antigas áreas industriais, os empresários preferem usar nossas terras virgens – alertou, apontando para uma das dificuldades dos planos de preservação ambiental. Segundo ele, mesmo na Alemanha, a ocupação dessas áreas ainda naturais ainda avança 136 hectares por dia.

Schliephake também afirmou que estudos conduzidos na Universidade de Würzburg apontam para diversas consequências acarretadas pelo crescimento econômico e pela ocupação de espaços virgens no território alemão. Entre elas, as mudanças climáticas acarretadas pelo aquecimento global, que geraram inundações em diversas áreas do país no início da década. Com esse alerta, surgiu a nescessidade de uma reinvenção no planejamento do território ocupado.

I Simpósio Internacional Geografia e Meio Ambiente vai até a quarta-feira, dia 20 de outubro. Veja a programação das palestras.