Projeto Comunicar
PUC-Rio

  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram

Rio de Janeiro, 16 de dezembro de 2018


Campus

Missa na PUC marca despedida ao professor Dionisio Carneiro

Carina Bacelar - Do Portal

06/08/2010

Mauro Pimentel

Celebrada pelo padre Paul Schweitzer na noite de quinta-feira, na PUC-Rio, a Missa de Sétimo Dia do economista e professor Dionisio Dias Carneiro lembrou uma reunião de antigos alunos. Ao lado de familiares e amigos, ex-estudantes e ex-colegas de trabalho lotaram a Igreja Sagrado Coração de Jesus. Cúmplices na saudade e na admiração, recordaram algumas das lições que o "mestre Dionisio" ensinou a sucessivas gerações.

A jornalista Miriam Leitão, embora não tenha sido aluna, afirmou que "muito aprendeu com ele e com o professor Rogério Werneck" quando trabalhava no Jornal do Brasil, nos anos 1980. Miriam lembrou as reuniões semanais que tinham no auge da inflação e destacou o papel do professor na formação de jornalistas da área econômica:

 Mauro Pimentel – Ele [Dionisio] sedimentou o meu pensamento econômico. O pensamento que hoje eu falo por meio das minhas colunas está muito formado pelo pensamento do Dionisio Carneiro. Ele era uma alma generosa, caridosa, engraçada, e deixa uma saudade imensa.

O economista Armínio Fraga, ex-presidente do Banco Central e ex-aluno de Dionisio, e as atrizes Malu e Érika Mader estavam entre as personalidades que se uniam aos admiradores anônimos. Grande parte dos cerca de 300 pessoas reunidas na igreja do campus dividiu com Dionisio as salas e corredores da PUC-Rio, onde ele lecionou por três décadas. Havia também ex-colegas da Universidade Federal do Rio de Janeiro, onde Dionisio graduou-se em economia. O vice-reitor para assuntos acadêmicos, Augusto Sampaio, lamentou a perda para a universidade:

– [Dionisio] era uma pessoa que nos brindava com a sua competência. O perfil do Dionisio era a humildade, a maneira simples de ser. Certamente o Brasil perde um grande economista, a PUC perde um grande professor e nós perdemos um grande amigo.

A ex-estagiária Juliana Portella, chefiada pelo professor em 2009, e a ex-secretária Solange Alencar também recordaram os ensinamentos vividos com o professor. Enquanto Juliana reafirmou "o grande mestre que Dionisio foi", Solange, emocionada, disse que o considerada um “segundo pai”:

– Ele tinha uma relação de muito apoio aos alunos, gostava muito de trocar idéias com os jovens e estar sempre renovando o seu pensamento por meio deles. Como profissional, era alguém muito responsável, competente, inteligente e dedicado ao que fazia. Ele vivia a economia.

 Mauro Pimentel Ao fim da cerimônia religiosa, o decano do Centro de Ciências Sociais da PUC, Luiz Roberto Cunha, agradeceu em nome da família do professor, o qual chamou de "pessoa excepcional". Muitos permaneceram na capela para cumprimentar a família do economista. Foi o caso de Aloísio Pessoa de Araújo (foto), colega de Dionisio na UFRJ. Ele relembrou os tempos de faculdade em que formavam, com o economista Chico Lopes, um pequeno grupo de estudo: 

– Desde o começo ele tinha uma atitude intelectual muito séria. Dionisio transmitiu tais valores para muitos alunos, e eu vi o embrião de tudo isso nascer.