Projeto Comunicar
PUC-Rio

  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram

Rio de Janeiro, 21 de julho de 2024


Mundo

Luís Nachbin apresenta Cuba em ´Passagem para...´

Yasmim Rosa - Do Portal

01/02/2010

Arquivo pessoal

Depois de viajar por toda a América e com a experiência de quem já visitou praticamente o mundo inteiro, foi a vez da ilha de Fidel Castro entrar para o roteiro do professor da PUC-Rio e jornalista Luís Nachbin. Repórter de vanguarda do videojornalismo, Nachbin iniciou a sexta temporada do programa Passagem para..., exibido pelo canal Futura, pelo país socialista atualmente comandado por Raúl Castro, irmão de Fidel. Dividido em quatro capítulos, Nachbin viajou pelas estradas cubanas, encontrou personagens memoráveis e viu um país além do regime político. Hoje, às 23h, será exibida a reprise do primeiro capítulo.

Em meio às restrições no acesso a jornais, livros e à internet em Cuba, o que mais chamou a atenção de Nachbin foi o alto grau de informação das pessoas. Para o jornalista, a boa educação que os cubanos recebem nas escolas faz com que sejam críticos e procurem informações mesmo de fontes censuradas.

– Fiquei impressionado como as pessoas são informadas. A educação básica que recebem é de boa qualidade e acredito que, por isso, as pessoas acabam buscando conhecimento de alguma forma. Apesar da conexão doméstica de internet ser proibida, só permitida em cafés e hotéis, os cubanos sempre dão um “jeitinho” e conseguem acessar sites proibidos pelo governo, como o blog da Yoani Sanchéz – afirma.

 Yoani recebeu um capítulo próprio no programa de Nachbin. Considerada uma das 100 pessoas mais influentes do mundo pela revista Time em 2008, a blogueira política concedeu uma entrevista ao jornalista e mostrou seu trabalho em Cuba.

– Ela exerce um papel social admirável. É muito articulada, bem informada, inteligente, mas, às vezes, um pouco radical. Estive na casa dela por duas vezes e participei de um encontro de blogueiros. Foi interessante vê-los discutir vários temas e saber que a maioria deles não pode acessar o próprio site.

As opiniões divergem quando o assunto é o governo. Apesar da chegada de Raúl Castro ao poder, as mudanças desejadas ainda não chegaram a Cuba.

– Durante as entrevistas percebi apoio e resistência ao governo. As pessoas mais jovens estão ansiosas por abertura política. Quando Raúl Castro assumiu o governo, esperava-se uma melhora, mas esse processo está muito lento. Essa abertura ainda não tem uma expressão clara em Cuba. Já as pessoas mais velhas apoiam porque viveram a época de ouro do sistema e ainda acreditam nele – declara.

Para Nachbin, é preciso que ocorram mudanças no governo de Raúl Castro, porém, de forma gradual, sem afetar radicalmente o povo cubano.

– São necessárias adaptações significativas no país. O controle social exercido pelo governo da forma como se dá não se justifica. Eu torço por adaptações e não por mudanças radicais. Cuba vive neste sistema há 50 anos e não posso dizer que só aconteceram coisas ruins. Há os dois lados. Só é preciso renovar – afirma.

Passagem para... de cara nova

Exibido desde 2004, Passagem para... já apresentou mais de 50 países em 144 episódios. Mas a viagem para Cuba traz muitas novidades. No primeiro episódio, a tradicional entrevista com um imigrante não ficou restrita ao Brasil. Magalys Fernandez, que mora no Rio há nove anos, acompanhou o jornalista até Cuba e o guiou pela capital Havana. Esta também é a primeira vez que o jornalista esteve acompanhado de sua esposa Ludmila Rosa e de sua filha Cecília. Para Nachbin, a experiência marca uma nova etapa do programa.

 – Levar a Ludmila e a Cecília foi sensacional. Foi o início do meu projeto de novo programa. A Ludmila me ajudou muito quando decidi fazer um road movie. Espero que nas próximas viagens elas também estejam comigo.

Entre uma cidade e outra, Nachbin encontrou alguns personagens memoráveis. De um grupo de músicos de Cien Fuegos para a blogueira Yoani Sanchéz, as histórias de vida renderam boas entrevistas. Mas o jornalista insiste em dizer que este não é um programa turístico. Preocupado em ir além de um olhar sobre monumentos históricos e belezas naturais, Nachbin tem como ponto de partida o cotidiano de cada cultura.

– Não fico preocupado em mostrar monumentos. Caso um lugar importante estiver no meu caminho, vou mostrar, mas não me preocupo muito com isso. Prefiro ater-me ao dia-a-dia. Eventualmente o documentário tende para a política, para a economia ou para o esporte. Tento mostrar um outro olhar sobre cada país.

Para quem não viu o programa ainda tem mais uma chance. O canal Futura irá reprisá-lo de hoje a quinta-feira às 23h. E para acompanhar as viagens de Luís Nachbin e rever alguns programas, basta acessar o blog do Passagem para.... Além dos vídeos, é possível ver fotos e ainda conversar com o jornalista.