Projeto Comunicar
PUC-Rio

  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram

Rio de Janeiro, 8 de agosto de 2022


Cultura

Cine-Direito exibe Fahrenheit 451 de Truffaut

Luísa Sandes - Do Portal

17/11/2009

Na quarta-feira, 18, às 13h, o filme Fahrenheit 451 (1966), de François Truffaut (Os incompreendidos, Jules et Jim), será exibido pelo Cine-Direito, no auditório B6 da Ala Frings. Após a sessão, haverá um debate com a participação do professor Pedro Villas Boas. Cinco horas de atividades complementares serão atribuídas pela participação dos alunos de Direito.

Fahrenheit 451, longa-metragem baseado em um livro do americano Ray Bradbury, reflete sobre o futuro, no qual um governo totalitário proíbe qualquer tipo de leitura. Quem desobedece a esta lei é preso e reeducado, além de ter seus livros queimados por bombeiros. Entretanto, Montag, um desses profissionais, foge às regras e, ao invés de destruir obras, se entrega à literatura. Influenciado por Clarisse, uma nova amiga, vai à terra dos homens-livro, comunidade de pessoas que assim como ele, foram perseguidas por ler. Ao decorar narrativas literárias, tinham como pretensão publicar as obras no momento em que não fossem mais proibidas.

De acordo com Renato Schvartz, professor de Cinema da PUC-Rio, o filme é uma ficção científica distópica e tem uma visão pessimista do futuro e da situação totalitária em que se encontra.

– É interessante notar que Truffaut mostra tanto a transformação do personagem, quanto a de um cenário, que começa na cidade e termina no campo, um espaço utópico. Ele tinha uma relação forte com a literatura e no filme isso aparece de forma doce e humanista, com um final muito bonito – reflete.