Projeto Comunicar
PUC-Rio

  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram

Rio de Janeiro, 21 de julho de 2024


Cultura

Empresas de intercâmbio fizeram parte da Mostra

Bianca Baptista e Yasmim Rosa - Do Portal

28/08/2009

CCCI

Conhecida por ser a maior feira de estágios e trainee da cidade, a Mostra PUC-Rio também oferece outros serviços aos jovens que participam do evento. Entre eles, as empresas de intercâmbio, que nesta 13ª edição totalizaram seis estandes nos pilotis da Ala Kennedy. Além delas, este ano o Consulado Britânico marcou presença na Mostra.
 
São muitos os destinos oferecidos, que vão do Canadá à Àfrica do Sul. Entre as oportunidades, estão cursos de idioma, técnico, de extensão e até os famosos au pair e work experience. Além desses, estágios não remunerados em grandes empresas, como a rede BBC, em Londres, são pacotes disponíveis.

Segundo a assessora da IE, Gabriela Blanco, fazer cursos em outros países é importante para a vida profissional.

– Estudar no exterior é um diferencial a mais no currículo. O aluno se destaca frente ao possível empregador – afirma.

Para Kátia Calega, enfermeira e visitante da feira, fazer um curso de longa duração em outro país não é bom só para o currículo.

– Ter a oportunidade de conhecer a realidade e inovações do Canadá, referência na área biomédica, é um grande aprendizado que poderei trazer para o Brasil. - ressalta.

A operadora STB trouxe uma nova proposta este ano: um concurso que terá como prêmio uma viagem com tudo pago.

– Sempre participamos do evento e quisemos renovar. Nos outros anos, trouxemos os programas e destinos. As pessoas até visitavam o estande em busca de informações, mas os realmente interessados nos procuravam depois. Com este concurso, queremos ser reconhecidos, explica Paulo Brito, gerente da empresa.

O Conselho Britânico aproveitou a feira para mostrar as oportunidades no Reino Unido. Segundo a assistente de visto Helena Cardoso, o público jovem foi o principal fator para a presença na feira.

– Trouxemos o Consulado com a finalidade de divulgar o novo sistema de vistos para os jovens interessados em fazer intercâmbio – sistema em que é pontuado cada requisito necessário.

A também assistente Marina Zelenoy informou que o governo Britânico renovou seu sistema de imigração para mostrar a possibilidade de se entrar no Reino Unido legalmente.

– Não vale a pena estar ilegal em um país. As consequências são enormes. Por isso, implantamos esse novo sistema, que favorece os jovens e pessoas qualificadas.

Para mais informações sobre visto, acesso o site da United Kingdom Border Angency.

Destinos inusitados

Os estandes de empresas de intercâmbio não são uma novidade, mas este ano trouxeram pacotes e destinos inusitados.

África do Sul, Namíbia e Quênia já fazem parte dos programas de intercâmbio da CI. Porém, diferente dos demais, os pacotes para o continente africano são destinados ao trabalho voluntário em reservas de animais ou de ajuda escolar.

- Muitas pessoas procuram esse projeto por buscarem novas experiências e por quererem estar em contato com uma realidade diferente da sua – explicou Maria José Paiva, supervisora regional da companhia.

Nesses casos, os interessados devem ter espírito de aventura, uma vez que as acomodações podem ser acampamentos ou tendas.

Além desses, há cursos para a terceira idade, oferecida pela operadora STB. Os programas consistem em aulas de idiomas, agregadas à culinária, sommelier ou simplesmente passeios a pontos turísticos. De acordo com Paulo Brito, gerente da empresa, esse tipo de programa não é voltado exclusivamente a idosos.

Dicas das empresas

Antes de arrumar as malas, é bom tomar nota de algumas dicas.

Em muitos dos cursos oferecidos, como o de idiomas, não é necessário nenhum pré-requisito. Já para cursos de extensão, graduação e pós, os institutos pedem um comprovante de proficiência na língua nativa. O TOEFL (Test of English as a Foreign Language) e IETLS (International English Language Testing System) são, normalmente, os mais solicitados.

Além da exigência da capacidade de fluência no idioma, países como Estados Unidos e México exigem o visto de entrada. Por isso, Paulo Brito, gerente da STB, recomenda que a viagem seja planejada com pelo menos quatro meses de antecedência. Para programas mais extensos, oito meses de preparação são necessários. Ele também indica a quem procura pacotes com preço baixo direcionar a viagem à baixa temporada.

- A melhor época para viajar vai de março a junho e de setembro a dezembro. Além de mais barato, as cidades estão mais vazias e é possível conhecer melhor o local – ressalta.