Projeto Comunicar
PUC-Rio

  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram

Rio de Janeiro, 16 de dezembro de 2018


Cultura

Das salas de aula para os palcos, atores que passaram pela PUC

Carolina Barbosa e Suzane Lima - Do Portal

02/03/2009

A Universidade é um ambiente propício para a troca de conhecimentos e discussões sobre os mais diversos temas. É um lugar onde pessoas de diferentes "tribos" se encontram para estudar e adquirir cultura e ter maior convívio social. Todos os anos, saem da PUC alunos que já trabalhavam ou passaram a trabalhar no meio teatral, após a conclusão do nível superior. Isso prova que, mesmo antes da abertura do curso de Teatro, a PUC já possuía vocação para a formação de grandes atores.

Muitos talentos que hoje estão nos principais teatros do Brasil já passaram pelas salas de aula da Universidade. Outros estão atuando em novelas, como a atriz Claudia Abreu – recém formada em Filosofia. O fato da PUC ter se engajado fortemente contra a ditadura militar e também no momento de reconsolidação da democracia brasileira atraiu a classe artística. Da nova geração de atores, Fernando Caruso e Marcelo Adnet são alguns exemplos de ex-alunos. Além de nomes consagrados como Guida Vianna - que está no elenco de A Gloriosa, contracenando com Marília Pêra, no Fashion Mall - e Françoise Fourton.

O comediante Marcius Melhem – conhecido pela participação no programa Zorra Total – está em cartaz com a peça Nós na Fita, na qual faz parceria com Leandro Hassum, no Vivo Rio. Atualmente, ele vive Hadesh, na novela Caminho das Índias. O jornalista, que entrou na Universidade em 1990, considera essa época como uma das melhores para os estudantes.

- O sonho ainda não tinha morrido e as discussões eram acaloradas. Os ônibus de caras pintadas saíam aos montes em 92 e os trotes serviam para brincar e todo mundo se conhecer, sem violência. Tínhamos liberdade, espaço e motivo para brigar.

Melhem foi um dos criadores do Excursampa e  hoje tem uma empresa de jornalismo em tempo real. O humorista, que considera a atitude a melhor qualidade dos estudantes, acredita que a PUC abriu as portas do mercado profissional para ele.


Augusto Garcia concluiu o curso de Direito na Universidade em 2007. Filho de cantora lírica,  descobriu sua vocação para o teatro aos 16 anos, quando assistiu uma montagem teatral no colégio em que estudava. Desde então, desistiu de cursar Medicina e veio para a PUC. Ele afirma que foi uma ótima escolha.

- Quando vim para a PUC, já tinha decidido ser ator, mas não um artista responsável. Dessa forma, o curso de Direito e a Universidade, a quem sou eternamente grato, ajudaram muito na minha formação como artista e ser humano. Com certeza, não seria o que sou caso não tivesse passado pela PUC.

O ator, que tem oito anos de carreira e atuou em mais de 10 peças, foi dirigido por renomados profissionais da área como João Fonseca e, atualmente, Moacyr Góes. No Teatro Maria Clara Machado, no Planetário da Gávea, Augusto está em cartaz com a peça O Silêncio dos Amantes, que traz para a cena quatro contos de Lya Luft (O Anão, O que a gente não disse, Um Copo de Lágrimas e a Pedra da Bruxa).

O comediante Fernando Caruso também passou pelos pilotis do prédio Kennedy. Formado em Publicidade e Propaganda, ele considera que a experiência em Comunicação Social só favoreceu a sua opção pela carreira artística.


- Se eu tivesse feito apenas teatro, teria andado sempre com o mesmo tipo de pessoa. Isso impediria que tivesse uma noção de mundo mais ampla. Os meus amigos da PUC têm uma visão mais aberta, ampla, eles sabem o que o público quer.

Fernando estudou teatro por onze anos no TeatroTablado, mas não se considera um expert no assunto. Hoje, está em cartaz com a peça Comédia em Pé e com Vai procurar a sua, no Rio de Janeiro e em São Paulo, respectivamente. Ele admite que não deu certo como publicitário e a carreira de ator veio naturalmente.

- Eu me divertia muito na PUC. Ria muito com meus amigos. Nós tínhamos uma forma divertida de encarar a vida. Acho que isso refletiu em querer passar isso para as pessoas, arrumar uma forma de comunicação direta como ator.