Projeto Comunicar
PUC-Rio

  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram

Rio de Janeiro, 1 de outubro de 2022


Cultura

Exposição comemora a juventude de um cinqüentão

Carolina Heringer - Do Portal

03/12/2008

 Paula Giolito

Há cinco décadas, Fernando Sabino lançava "O encontro marcado", considerado o mais importante romance do escritor mineiro. A história de um rapaz em procura desesperada por si mesmo e pela razão da vida tornou-se o livro de cabeceira da juventude da época. Para comemorar esse cinqüentenário, Bernardo Sabino, filho de Fernando, idealizou a mostra “Encontro Marcado com Fernando Sabino”, que chegou à PUC-Rio depois de passar por Belo Horizonte e Brasília.

Na exposição, que se estende até 5 de dezembro nos pilotis da universidade, vida e obra de Sabino são contadas em quatro módulos. “O menino do espelho”,representa sua infância e “O homem nu”, uma minuciosa reprodução da casa de Sabino no Rio de Janeiro. “A marca”, título do segundo livro do escritor, reúne objetos e fotos relacionados à vasta obra. Em “Encontro marcado”, é representada a amizade com Hélio Pellegrino, Otto Lara Resende e Paulo Mendes Campos. Sucesso entre estudantes, professores, funcionários e visitantes, a mostra teve de vencer o desinteresse do poder público para pousar na cidade: 

– A gente tentou fazer alguma coisa aqui no Rio, mas não fomos recebidos por nenhuma autoridade. É uma pena porque foi onde papai viveu mais de 60 anos. Nessa procura por um lugar, visitei a PUC, gostei muito do espaço e resolvi trazer a mostra para cá – revelou Bernardo, no lançamento da èxposição na universidade.

Instalada nos pilotis, a reunião de fragmentos da vida e obra de Sabino estimula os jovens a conhecerem melhor a trajetória do escritor. As grandes estruturas de gesso chamam a atenção e despertam a curiosidade das centenas de pessoas que passam por ali todos os dias. Segundo o professor Ricardo Oticica, colaborador da Cátedra da PUC-Rio e um dos responsáveis por trazer a iniciativa para a universidade, a exposição está num local privilegiado:

– A mostra está onde o povo está. É uma maneira de tornar vivo o que às vezes pode não ser muito atraente. É também uma boa forma de atrair os que estão apenas de passagem.

  Joana Parente, estudante do 7º período de Publicidade e fã de Fernando Sabino, achou ótima idéia:

– Quando cheguei aqui e vi as instalações, fiquei muito curiosa para saber o que era. Aproveitei o intervalo e visitei a exposição. Fui até mais de uma vez, já que está tão acessível.

Já a estudante do 5º período de Direito Maíra Coutinho, diz que a correria do dia-a-dia a impediu de observar os módulos a fundo. Por enquanto...

– Passo sempre muito rápido e acabo não tendo tempo – lamenta Maíra.

Delicioso pretexto para se revisitar o mundo de Sabino, “O encontro marcado” influenciou não só para a juventude da época, como também as gerações seguintes. A narração dos conflitos dos jovens por meio dos anseios do personagem Eduardo Marciano, alter ego de Sabino, mantém-se atual e desperta o interesse de novos leitores, principalmente adolescentes.

Para o jornalista e escritor Zuenir Ventura, a obra homenageada é a mais importante de Sabino, pois foi o romance que lançou o escritor mineiro.

- “O Encontro marcado” é um livro não só de uma geração, mas sobre todas as gerações em geral. Você vê hoje o jovem ainda se reencontrando nessa obra, porque ainda há nela muita atualidade. Ela simboliza Fernando – resume Zuenir.

A exposição “Encontro Marcado com Fernando Sabino” fica na PUC-Rio até sexta-feira, dia 5, das 7h às 23h. A entrada é gratuita.