Projeto Comunicar
PUC-Rio

  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram

Rio de Janeiro, 24 de setembro de 2022


Campus

Formigas e ferramentas invadem a PUC-Rio

Paula Giolito - Do Portal

09/12/2008

 Paula Giolito

Cones de trânsito, redes de proteção, fitas de isolamento, placas sinalizando ferramentas e formigas de madeira invadiram a PUC-Rio na semana de 10 a 14 de novembro. Não se tratava de obras ou intervenções artísticas feitas por alunos para alguma avaliação acadêmica. O cenário foi criado por universitários que organizaram a I Semana de Arquitetura e Design – Mãos à Obra. As atividades e exposições se distribuíram nos pilotis da Ala Kennedy, em pavilhão montado com andaimes no estacionamento, no Solar Grandjean Montigny e no canteiro experimental de Arquitetura.

Na primeira edição em conjunto com o curso de Design, a Semana, originalmente promovida pelo Departamento de Arquitetura, contou com palestras sobre arquitetura sustentável, workshops de design e apresentações de trabalhos. Inspirados pela tradicional escola alemã Bauhaus, que engloba os dois cursos, os alunos organizadores criaram uma “grande semana de artes”:

 - Nos unimos com o pessoal de Design porque podemos nos completar, são áreas complementares - justificou Rebeca Kaizer, aluna do 7º período de Arquitetura e uma das organizadoras.

A troca de experiências entre os cursos foi perceptível em todo o campus. Nos pilotis da ala Kennedy, alunos de cursos como Direito, Comunicação e Economia observavam curiosos maquetes de construções e projetos arquitetônicos inusitados. Nos workshops sobre estamparia, stencil e graffiti, os estudantes puderam trabalhar a integração entre arte, processos construtivos e consciência ambiental. O grafiteiro Méton ensinou uma técnica de animação básica conhecida como flip, que consiste em uma série de desenhos feitos em folhetos de propaganda, transformados em uma seqüência de movimentos. “Esse workshop possibilitou uma troca de idéias. Eu vim aqui para ensinar e também aprender”, disse o grafiteiro, que vê o encontro como uma forma de o aluno se conhecer melhor.

 Estudantes participaram de debates sobre os caminhos da arquitetura e suas características. Na mesa “Mãos à obra”, os professores da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo de São Paulo (FAU/USP) discutiram a prática da arquitetura nos canteiros experimentais das universidades. Na opinião do palestrante Joan Villà, o canteiro experimental oferece segurança para o aluno reinventar e desenvolver o que foi criado. Na PUC-Rio, o canteiro existe há cerca de um ano, e recentemente os alunos construíram um forno a lenha a partir de estudos de materiais e estruturas.

Às palestras e oficinas, somou-se a exposição “Senta Ai”, exibição de protótipos de cadeiras elaborados pelos alunos. No Solar Grandjean Montigny, a exposição “Tectônica” mostrou projetos de arquitetura elaborados com base em pesquisa de materiais. O curso de Design organizou desfile e mostra do curso de moda, e promoveu os tradicionais Bazarte e Fotografarte, ambos com trabalhos realizados por universitários.