Projeto Comunicar
PUC-Rio

  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram

Rio de Janeiro, 1 de outubro de 2022


Campus

Grande reportagem exige grandes personagens

Maria Eduarda Parahyba - Do Portal

17/11/2008

O segredo de qualquer matéria, seja longa ou curta, é uma boa entrevista. A receita compôs o cardápio de recomendações feitas pelo jornalista Flávio Fachel no curso de telejornalismo do Globo Universidade, em parceria com a PUC-Rio. Com quase 20 anos de carreira em televisão, ele debateu diferentes aspectos da produção editorial, desde a luta contra o tempo na produção das matérias diárias até a construção de grandes reportagens.

– Não há uma boa matéria sem uma boa entrevista. Para fazer uma entrevista, é importante que você saiba como pensa o entrevistado. Até para deixá-lo à vontade e poder extrair o melhor da entrevista – ensinou.

O jornalista prescreveu, aos alunos, alguns antídotos contra a pressão do tempo. Depois de lembrar como o apresentador e editor do Jornal Nacional, William Bonner, traduz o desafio da edição (“montar um jornal é fazer o elefante caber na casinha de cachorro”), Fachel orientou:

– Fazer TV é abandonar preciosidades. Quando o material é extenso, o jeito é cortar. Dá pena, mas é isso. Temos de buscar boas imagens, uma boa passagem e boas entrevistas. Se conseguirmos juntar estes elementos todos, conseguiremos um bom VT.

Na grande reportagem as dificuldades são outras, esclareceu o jornalista. Os repórteres tendem a gostar mais destas matérias, pois, freqüentemente, ficam marcadas na memória dos telespectadores e consagram o profissional. Para que o resultado corresponda à expectativa e ao investimento superiores, bons personagens e boas entrevistas mostram-se decisivos:

– A grande reportagem é uma grande história. Contar uma história é falar de pessoas. Bons personagens são essenciais. A grande reportagem torna-se um desafio para os repórteres que querem exercitar a crônica e a capacidade de contar boas histórias na TV – ressaltou Fachel aos futuros jornalistas.