Projeto Comunicar
PUC-Rio

  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram

Rio de Janeiro, 17 de junho de 2024


Mundo

Obama é o novo presidente dos Estados Unidos

Arthur Romeu

05/11/2008

Na votação com maior participação popular em cem anos, o candidato democrata Barack Obama foi eleito nesta terça-feira, 4, o 44º  presidente dos Estados Unidos e o primeiro negro a comandar a Casa Branca. Apesar das longas filas e de problemas nas urnas, quase 66% dos 153,1 milhões de eleitores registrados para as eleições compareceram para votar. 

Obama garantiu a indicação democrata depois de uma longa batalha com a ex-primeira-dama Hillary Clinton. Durante 2008, marcado pela crise financeira global, a economia foi a principal preocupação dos eleitores americanos, no lugar da política externa. 

O novo presidente propôs, para combater a crise, lançar um pacote de resgate econômico voltado para a classe média, com previsão de aumento de US$ 60 bilhões nos gastos do governo. Quando tomar posse, em 20 de janeiro, enfrentará uma série de problemas difíceis, liderados pela crise financeira trazida pelo colapso do sistema hipotecário americano, que teve impacto brutal nos mercados financeiros e economias do mundo.  

Professor de Relações Internacionais da PUC, Carlos Frederico Pereira da Silva Gama afirmou que a expectativa em torno do novo presidente está fundada, em grande parte, na falta de popularidade do governo Bush.

- O final do governo foi marcado pelo desastre militar e econômico. Existe a esperança que Obama tenha uma postura oposta a de Bush, tanto na política interna quanto externa.

Segundo Frederico, Bush desenvolveu uma política por um viés unilateral, com ênfase na guerra contra o terrorismo e na intervenção. Essa postura vai de encontro com as apostas das instituições políticas mundiais, que têm investido em acordos multilaterais. Com a chegada de Obama, a agenda de negociações internacionais pode se abrir. “O acordo de Doha pode voltar com mais força na pauta do novo presidente”. As duas principais questões que vão desafiar Obama são a crise econômica e a atuação do exército no Iraque. 

Frederico afirmou também que tanto Obama quanto McCain não apresentaram um discurso com propostas bem definidas para resolver a crise, mas a linha Obama vai privilegiar a classe média, o emprego e as poupanças.

- Acredito que ele vá tomar medidas bem arrojadas nesse sentido. O perfil do Partido Democrata é justamente investir nas questões trabalhistas, ausentes na agenda do ex-presidente. 

Além da vitória do seu candidato, o Partido ganhou força no Senado e na Câmara. Segundo Carlos Frederico, a vantagem no Parlamento vai alavancar uma “pequena reforma tributária que beneficiará a classe média, redirecionando o capital de cima para baixo, com cotas de impostos para grandes riquezas”.

Quanto ao Iraque, Obama prometeu a retirada das tropas assim que assumisse a presidência. Para Carlos, a estratégia de segurança internacional do novo presidente também está focada no combate ao terrorismo, mas isso não significa que sua a política de intervenção vai ser a mesma de Bush.

 

- Ele vai redirecionar as tropas do Iraque para o Afeganistão e para o Paquistão. Obama combaterá organizações extremistas como a Al Qaeda, porém as intervenções militares não serão feitas da mesma maneira que as do governo Republicano. Acredito que haverá mais espaço para negociações.

 

Em relação à política brasileira, Carlos Frederico afirma que a eleição de Obama é vista com desconfiança pelo Ministério das Relações Exteriores devido ao perfil protecionista do Partido Democrata.

 

- A proteção dos trabalhadores e da indústria norte-americana é vista como um obstáculo às exportações brasileiras. A exportação de álcool combustível pode se desvalorizar.

 

 Obama

Filho de Barack Hussein Obama, um homem negro do Quênia educado em Harvard e de Ann Dunham, uma mulher branca de Wichita, no Estado do Kansas, Obama nasceu em Honolulu, no Havaí, em 4 de agosto de 1961. Seus pais se separaram quando ele tinha dois anos. O democrata morou na Indonésia, após sua mãe se casar com um indonésio, e depois viveu no Havaí. 

Obama formou-se em direito em Harvard e trabalhou como professor e defensor dos direitos civis em Chicago até ser eleito senador por Illinois, em 2004. Foi em Harvard que conheceu sua mulher, Michelle, com quem se casou em 1992. Com formação universitária, ela foi cabo eleitoral importante entre as mulheres. Ajudado por seu carisma, Obama ganhou popularidade ao longo da campanha e foi o candidato que melhor soube utilizar as ferramentas da internet.