Projeto Comunicar
PUC-Rio

  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram

Rio de Janeiro, 24 de setembro de 2022


Campus

Planejamento é decisivo em grandes coberturas

Maria Eduarda Parahyba - Do Portal

31/10/2008

Importantes para conciliar qualidade e prazo na produção cotidiana dos telejornais, o planejamento e o suporte logístico revelam-se especialmente decisivos em grandes coberturas, como o carnaval e os Jogos Pan-Americanos. “São imprescindíveis na busca de diferenciais”, destacou Márcio Sternick, editor-coordenador responsável por coberturas especiais da TV Globo, aos alunos do curso de telejornalismo do Globo Universidade, em parceria com a PUC-Rio. Renato Ribeiro, diretor regional de jornalismo da Rede Globo, acrescentou: a inovação e o suporte técnico favorecem a diferenciação para atrair o telespectador.

– A Globo tem uma capacidade muito grande de criar formatos novos, de inovar com idéias, de levantar uma amplitude grande de assuntos. É importante estar constantemente inovando – ensinou.

Outra recomendação básica: programar as coberturas jornalísticas, principalmente as de grande porte, com uma antecedência equivalente. Renato Ribeiro contou aos estudantes que a cobertura do carnaval carioca, por exemplo, começa a ser pensada um ano antes do desfile.

– Começa já no término do desfile no ano anterior – disse ele – Coberturas complexas como esta exigem uma equipe reforçada, com representantes de diversos departamentos.

Márcio completou:

– Os profissionais são escalados de acordo com o perfil, com a especialidade de cada um, de maneira que o resultado fique impecável. É um esforço coordenado. Montamos uma estrutura com produtores especiais e já vamos selecionando alguns que poderão ser aproveitados no carnaval do ano seguinte.

Nem sempre é possível esquematizar grandes coberturas com antecedência. Sternick lembrou que o acidente da TAM, em 2007, exigiu uma conjugação de competências para assegurar velocidade e consistência na transmissão das informações. O maior desastre aéreo do Brasil, com 1999 mortes, tornou-se um grande teste para a produção jornalística.

– Quando há um fato assim, é preciso correr para o local imediatamente com o máximo de equipes. Posicionar-se bem e encontrar um ponto no qual seja possível fazer transmissões ao vivo. E, a partir deste primeiro passo, constituir ali um núcleo inicial para desenvolver o assunto – explicou Sternick.

Planejadas com antecedência ou relacionadas a fatos graves e urgentes, as grandes coberturas devem conservar um compromisso rigoroso com a precisão, lembrou Renato Ribeiro. A amplitude da abordagem e a velocidade necessária para reportar um fato importante recém-ocorrido não servem de justificativas para informações incorretas ou incompletas. A busca por diferenciais não pode esquecer do básico: apuração cuidadosa das notícias.