Projeto Comunicar
PUC-Rio

  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram

Rio de Janeiro, 20 de maio de 2024


Cultura

Mostra sobre cinema e globalização no Centro

Jana Sampaio - aplicativo - Do Portal

07/04/2014

O filme tem uma escala que não é a do cinema, é a do bordado. A definição dada pelo diretor do longa O céu de Suely (2006), Karim Aïnouz, sintetiza a atmosfera simples — mas não simplista — da Mostra Cinema, Globalização e Multiculturalismo, na Caixa Cultural do Rio de Janeiro (Av. Almirante Barroso, 25, Centro). Nesta segunda-feira 7, o evento começa às 18h e é restrito aos convidados, mas a partir de terça, 8, tem início a mesa de debates, às 19h (ingresso a R$ 2). Diretor do cultuado Madame Satã (2002), um dos marcos da retomada do cinema nacional, Aïnouz usa a globalização como fio condutor de seus filmes. Na mostra, a temática será abordada por meio da linguagem e da estética cinematográfica pós-moderna, que contará com a exibição de outros 12 filmes nacionais e internacionais, além de duas mesas de debate com a presença de cineastas e pesquisadores.

Em cartaz entre os dias 8 e 20 abril, a mostra tem como proposta jogar luz nas diferentes formas de pensar a globalização e o multiculturalismo por meio do cinema contemporâneo. Os filmes selecionados apresentam personagens que transitam entre países e culturas, migrações, diásporas, mas também retratam a maneira como as pessoas viajam sem sair do lugar, no diálogo com a cultura das mídias, sobretudo com a internet, e como pequenas cidades são redefinidas pelo trânsito de pessoas e culturas.

Vencedor do Festival do Rio 2006 nas categorias de melhor filme, melhor diretor e melhor atriz (Hermila Guedes), O céu de Suely conta a história de uma mulher sai de sua cidadezinha no interior do Ceará para tentar a vida em São Paulo. O fracasso da jornada faz com que Hermila cumpra o ditado popular de que o bom filho à casa torna e perceba que foi abandonada pelo companheiro, que não volta da capital. Sem dinheiro e em busca de uma vida nova, ela decide vender sua companhia por uma noite para custear a viagem (assista ao trailer).

Além da exibição de filmes, a mostra contará com duas mesas de debates. Nesta terça 8, às 19h, o professor do Departamento de Comunicação da PUC-Rio e conservador-chefe da Cinemateca do MAM, Hernani Heffner, e a professora do Departamento de Cinema, Rádio e Televisão da Escola de Comunicações e Artes (ECA), da USP, Esther Hamburguer, vão discutir Cinema, globalização e multiculturalismo, sob mediação do professor Denílson Lopes. No dia 15, às 19h, o cineasta Esmir Filho, realizador de Os famosos e os duendes da morte, e o curador do projeto fazem uma nova rodada de debate, com mediação do pesquisador Lucas Murari. A programação completa da mostra está disponível no site.