Projeto Comunicar
PUC-Rio

  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram

Rio de Janeiro, 26 de junho de 2022


Economia

Jovem executivo administra jornada tripla

Renan Rodrigues - Do Portal

12/06/2013

 Nicolau Galvão

Aos 21 anos, comemorados ontem (10), o estudante do quinto período de publicidade da PUC-Rio Marcus Mota coleciona um currículo compatível com a rotina atípica para um jovem universitário. Ex-estagiário da rádio do Projeto Comunicar e das rádios Nativa e Tupi, Marcus preside, desde janeiro, a Empresa Júnior da PUC-Rio. Administrada por 25 alunos de graduação da universidade, com o auxílio de professores-orientadores, a organização presta consultoria em comunicação e gestão para diversas áreas do mercado. É uma das mais antigas do gênero no país (faz 18 anos em setembro), o que se reflete no faturamento anual em torno de R$ 460 mil, no crescimento de 30% previsto para 2013 e na consolidação deste modelo empreendedor para a qualificação profissional.

O primeiro desafio de Marcus talvez seja lubrificar tal reconhecimento, refletido, por exemplo, no Prêmio Qualidade Rio, organizado pelo governo estadual para incentivar o crescimento econômico. A empresa conquistou medalha de prata (2002 e 2003), medalha de ouro (2005) e medalha de ouro mais certificado (2006), a categoria máxima da premiação. Dos mais de 700 projetos desenvolvidos, parte está associada a coprorações como Shell, Ipiranga, Domino’s.

Segundo o jovem executivo, a pizzaria representa um dos casos mais festejados pelos sócios (“Os integrantes da empresa são alunos de graduação que chamamos de sócios. Tentamos desmistificar a relação de estágio”, justifica o presidente). Ao notar uma dificuldade em se firmar no Brasil, o grupo encomendou à Empresa Júnior uma pesquisa para conhecer as preferências do brasileiro. Verificou-se que a pizza apimentada e de massa grossa não fazem muito sucesso por aqui. O diagnóstico fundamentou um bem-sucedido plano de negócios para harmonizar melhor as pizzas às características de consumo nacionais. Embora a iniciativa tenha sido marcante no cardápio de clientes, Marcos esclarece que a empresa desenvolve projetos para vários segmentos: 

– Tocamos em 2012 um projeto, por exemplo, para uma padaria chamada Arte Conventual. É uma empresa pequena, que buscou a consultoria para se expandir e se consolidar no mercado. Trabalhamos com empresas de diferentes portes e áreas.

Variada também é a rotina de Marcos. Equilibra 10 horas de trabalho, afazeres acadêmicos e, na medida do possível, programas com a namorada e os amigos. O tempo curto faz o estudo ocupar os fins de semana.

As semelhanças entre Marcus e um típico universitário terminam na idade. Ele admite dificuldade para conciliar as demandas profissional, universitária e pessoal. O agito em boates, por exemplo, restringe-se a períodos especiais, como feriados prolongados. O "normal", diz, é usar o fim de semana para estudar:

– Saio pouco, e ainda faço curso de espanhol no sábado de manhã. Tiro fim de semana para estudar. Minha namorada também trabalha muito. Passamos o fim de semana estudando juntos, e à noite saímos. Eu tenho consciência de que assim será por dois anos: abro mão de algumas coisas por um melhor aprendizado.

Inspirada no sucesso de inúmeros egressos da Empresa Júnior, esta opção é tratada como um investimento na capacitação estratégica para deslanchar no mercado. Exige, mais que determinação, amadurecimento. Por isso, quando é perguntado sobre o perfil "ideal" para ingressar na empresa, Marcos afirma de forma categórica: não há perfil específico, porém maturidade é essencial, inclusive para lidar com clientes de diferentes tipos. 

– Estou trabalhando umas 10, 11 horas por dia. As pessoas também se dedicam em torno desse horário. O perfil ideal requer determinação e maturidade, para aguentar a dura rotina. Acaba-se ficando menos tempo com a família e a namorada.

“Pensei que fosse ser desligado da empresa no primeiro mês”, lembra

A sobriedade do executivo, refltetida nas palavras medidas e na sensatez com que fala sobre o plano profissional, o estudo, a vida, nem sempre, lembra Marcus, foi sinônimo de acertos. Ele não esquece o primeiro projeto de que participou na Empresa Júnior:

– Entrei em junho do ano passado e comecei um projeto para um ex-membro da empresa. Houve um erro de comunicação e a pesquisa de mercado não ficou boa. A cliente não gostou. Disse que estava "horrível", e eu pensei que fosse ser desligado da empresa já no primeiro mês. Mas a gente refez e ela adorou. É assim. Você vai errando e aprendendo. Foi uma confusão – conta, hoje com descontração.

Troca com ex-membros enriquece sócios atuais

Transformar os percalços em êxito faz parte de aprendizado para o qual também contribuem a troca de experiências entre os membros da empresa ("Esta cooperação faz a diferença", ressalta) e as referências de ex-integrantes que se destacaram em diversas áreas do mercado. Caso do atual CEO do Rock in Rio, ex-da Osklen, Luiz Justo. Com ansiedade típica dos jovens, Marcus conta que vai "encontrar pessoalmente o Justo":

– Recebi um email dele nesta semana pedindo para encontrá-lo quando estiver na Barra. É uma oportunidade única. Estou ansioso para conhecer uma pessoa assim – vibra.

Ex-membros da Empresa Júnior vão oferecer, no próximo mês, um treinamento de uma ou duas semanas para os atuais integrantes. Para Marcus, a iniciativa retrara "a consideração dos que já passaram por lá". Ainda segundo o presidente, se o treinamento fosse pago, custaria entre RS 500 e RS 600 por pessoa.

– Essa troca com ex-membros é muito legal. O encontro de julho será sobre gestão, assunto do nosso interesse. É algo surreal – comenta – A melhor palestra do último TEDx, por exemplo, foi do nosso ex-presidente em 2010 Guilherme Lito. Ele é aluno de Engenharia de Produção da PUC.

A rotina profissional é o principal desafio a ser vencido por quem entra na Empresa Júnior, reforça Marcus. O compromisso de entregar projetos dentro de prazos rígidos e a relação com variados clientes enriquece o dia a dia dos sócios. “Você não sabe como o cliente vai te tratar e você precisa vender alguma coisa, sem esquecer que você tem 20 anos”, resume.

– Participei, recentemente, de uma negociação em que o cliente precisava de uma consultoria, pois não tinha tempo para fazer. Chegou a procurar o Sebrae. Foi difícil convencê-lo, pois precisamos mostrar nossos trabalhos e pensar em como agradar e vender a nossa ideia. Todas essas nuances fazem parte do aprendizado – diz o executivo, com indisfarçável orgulho.

A presidência veio seis meses depois de ter entrado na empresa. Em princípio, pensava em  candidatar-se à diretoria financeira, mas "uma pessoa já havia sido selecionada de acordo com a estratégia corporativa". A vaga de presidente seguia aberta e ele foi indicado para preenchê-la. Veio mais cedo do que imaginava:

– Sempre quis ser presidente, mas o objetivo era para 2014. Mas foi a melhor coisa que fiz.

“O perfil dele me chamou a atenção desde o início”, diz ex-professor

Embora tímido, Marcos impressionou o professor do Departamento de Comunicação Social da PUC-Rio Luiz Favilla, que reconheceu no estudante traços adequados para a Empresa Júnior. Marcus foi seu aluno em Técnicas da Comunicação II, disciplina do terceiro período. Favilla diz que se impressionou com o perfil articulado do jovem, cuja evolução é "evidente":

– Fiquei emocionado quando o vi falar em público, com segurança, depois de ter entrado na Empresa Júnior. Antes, era um aluno tímido. Fico muito feliz por ter evoluído em tão pouco tempo. Ele é um dos alunos que marcaram a minha vida.

Favilla esclarece que "apenas apontou o caminho" para Marcus, ao identificar seu potencial empreendedor e gestor. Agradecido, Marcus admite que Favilla foi decisivo para a escolha profissional:

– Tive muitos bons professores, mas o Favilla foi o que mais me marcou. Depois de um exercício, no primeiro dia de aula no qual falamos sobre nós mesmos, ele avaliou que eu tinha o perfil para a Empresa Júnior e me indicou logo em seguida. Até hoje, ele acompanha o meu desempenho.

O processo seletivo para a Empresa Júnior está “constantemente aberto”, de acordo com Marcus Mota. Os interessados devem se inscrever no próprio site.