Projeto Comunicar
PUC-Rio

  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram

Rio de Janeiro, 19 de junho de 2024


Cultura

Bancário faz sucesso com heavy metal no Japão

Tatiana Carvalho - Do Portal

26/08/2008

Trabalhar como bancário foi o modo que Vitor Veiga encontrou, há nove anos, para sair da casa dos pais e financiar seus sonhos. Como ter uma banda de heavy metal. O gerente da agência do banco Itaú na PUC-Rio concilia extratos e acordes com a habilidade de quem tem as notas musicais no código genético.

- A música é algo que está no sangue. Meu pai passava o dia com o rádio ligado, ouvindo música clássica. Minha mãe gostava de cantar em casa e meus dois irmãos tocam violão e cantam – conta.

Quando descobriu, ainda garoto, as versões orquestradas de clássicos dos Beatles, como Yesterday, foi "amor à primeira audição". The Eleanor Band, uma de suas três atuais bandas, é cover deste grupo.

Vitor fazia o tipo nerd. Gostava de jogar RPG (Jogo de Interpretação de Papéis, em inglês), atividade que, segundo ele, melhorou a sua interpretação e diminuiu sua timidez. Jogos de computador com cenários medievais o divertem até hoje. Assim como andar de bicicleta: "Aumenta o fôlego e ajuda a alcançar notas mais agudas".

Aos 13 anos, Vitor aprendia violão com auxílio de revistas. Foi autodidata em guitarra, baixo e teclado. Até resolver ganhar (em parte) a vida com a música. Formada em 1999, a banda Aquaria rendeu-lhe um gostinho de pop star:

- Começamos no circuito Rio de Janeiro-São Paulo. Um dia, fomos fazer um show no Recife. Ao chegar ao hotel, havia um monte de fãs gritando. Pensei: "Caramba, que maluquice!". Não tinho noção do tamanho da nossa popularidade – lembra Vitor.

A banda ganhou reconhecimento internacional. No lançamento do segundo CD, no Japão, formou-se fila à frente da loja. O mérito revela-se insuficiente para fazê-lo desistir da vida dupla: só com a música, as contas não fecham. 

- Heavy metal, no Brasil, é uma questão de paixão. Não dá para enriquecer. Ainda existe muito preconceito. Quando as pessoas ouvem falar em metal, logo imaginam um cara todo vestido de preto, com argolas e correntes, gritando. Falta cultura. – justifica.

Envolvido com o recém-lançamento do CD do Aquaria no Brasil, Vitor divide-se também entre ensaios, shows e o chamado projeto Starlight: álbum com diversos vocalistas de bandas de metal, previsto para o fim do ano.