Projeto Comunicar
PUC-Rio

  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram

Rio de Janeiro, 23 de julho de 2024


Cultura

Galerias de arte na Gávea

Glaucia Marinho e Joana Medina - Do Portal

20/03/2009

 Joana Medina

Parece que o charmoso mundo das galerias de arte combina perfeitamente com o ar da Gávea. Não é difícil encontrar pelo bairro salas e até casas abertas ao público só esperando que ele aprecie as obras expostas. O indecifrável universo da arte fica separado apenas por uma porta, seja ela de vidro, de madeira ou até um grande espelho.

Inaugurada em janeiro de 2006, a galeria de arte “Anna Maria Niemeyer” fica na Praça Santos Dumont. É preciso um olhar atento para notá-la, mas o pequeno espaço foi usado com sabedoria. Anna Maria é filha de Oscar Niemeyer e dona do local. Desde 1979 abriu uma galeria no Shopping da Gávea, que funciona até hoje, mas há dois anos resolveu expandir, sem sair do bairro.

 Leonor Azevedo, gerente da galeria, acredita que ela promove um encontro do público com a arte e, por ser no Baixo Gávea, esse público é cada vez mais novo. Segundo ela, muitas escolas da área agendam visitas ao espaço. “São crianças que não entendem nada, mas é importante criar desde cedo esse costume de freqüentar as galerias. Criar o hábito e o contato com exposições como forma de entretenimento”, diz.

Ao contrário da discreta galeria na Praça Santos Dumont, três andares e uma fachada espelhada chamam a atenção de quem passa pela Rua José Roberto Macedo Soares. A galeria de arte “Anita Schwartz“ foi inaugurada em abril de 2008 e precisou de um ano e meio de reforma para ficar exatamente como sua idealizadora queria. A enorme casa é puro charme. Tem elevador e um contêiner vermelho no terceiro andar que, no seu interior, exibe vídeos sobre as exposições.

Stela Nahuz, assistente da galeria, afirma que adora o novo espaço e não tem dúvida de que ele será um sucesso. Segundo ela, o grande espelho da entrada estimula a curiosidade de quem passa. “Algumas pessoas já perguntaram se era um shopping. Eu disse que não e convidei para entrar. Elas nunca tinham entrado em uma galeria”, conta. Stela costuma brincar que o grande número de artistas no país não cabe dentro das galerias. Pelo menos, a “Anita Schwartz” é bem espaçosa.

Quem passa pela João Borges, 86, nem imagina que na tranquila rua, em uma casa recatada, está instalada a galeria Mercedes Viegas de Arte Contemporânea. A museóloga fundou o espaço em 2000 e a opção pelo bairro foi motivada devido ao fato de a Gávea ser “fora do circuito”.

No local, não há letreiros, nem faixas indicando que lá está instalada uma galeria, mas isso é opção da própria Mercedes, que “prefere chamar atenção de outras maneiras”. E consegue. A galeria tem um belíssimo acervo, além de exposições periódicas, seis individuais e uma coletiva por ano.

A escolha dos artistas que expõem na casa é feita por Mercedes, que trabalha com arte desde a década de 1980. Ela atribui seu conhecimento ao curador Frederico Morais, com quem trabalhou na época, na Galeria de Artes do BANERJ.

Entre os nomes da Galeria estão: Amalia Giacomini, Ana Holck, Ana Linnemann, Angelo Venosa, Daniel Murgel, Enrica Bernardelli, Luiz Monken, Marcia Thompson e Marta Jourdan. Lá são bem-vindas pinturas, esculturas, desenhos, fotografias, vídeos e objetos com design inovador.