Projeto Comunicar
PUC-Rio

  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram

Rio de Janeiro, 27 de setembro de 2022


Campus

PUC Por Um Dia ajuda na escolha da profissão

Danilo Alves, Igor Novello e Marina Chiarelli - Do Portal

19/04/2013

 Nicolau Galvão

Curiosidade e vontade de conhecer melhor a profissão para quem vai prestar vestibular são os principais sentimentos que movem os 7 mil alunos de Ensino Médio nesta sexta-feira, 19, no 11º PUC Por Um Dia, organizado anualmente pela universidade para facilitar a escolha da carreira, apresentando aos alunos as diferentes áreas do conhecimento e o interior da universidade. Cerca de 200 professores da PUC-Rio estão envolvidos em 200 atividades, entre workshops e palestras. (Veja as imagens do PUC Por Um Dia).

Palestra ajuda a afastar medo do mercado de trabalho

A estudante Sofia Lima, 17 anos, assistiu à palestra sobre publicidade e propaganda, com a publicitária e professora de marketing Ligia Rizzo. Após várias perguntas, a jovem conseguiu afastar o medo que tinha sobre o mercado de trabalho:Nicolau Galvão

– Sempre quis trabalhar com eventos na publicidade. É uma área muito específica, então tinha medo de não ter muitas oportunidades de emprego. Mas, depois da palestra, me senti mais tranquila, pois soube que essa área está crescendo muito.

Logo no começo de sua apresentação, Ligia fez questão de reforçar a ideia de que as agências não são a única área que emprega na publicidade. Todos procuram por ela, mas a professora mostrou que o mercado de comunicação é muito vasto:

– As agências não comportam mais todos os publicitários que a procuram. Por semestre são formadas muito mais pessoas que um sistema de uma agência pode acolher.

Para atuar exatamente na área em que o aluno deseja, a professora ressalta a importância de uma especialização. Segundo ela, apenas os quatro anos de graduação não bastam para o profissional:

– Buscando uma pós-graduação e cursos mais específicos, o profissional, com certeza, terá mais chances de trabalhar no que quer. A especialização, portanto, é fundamental.

“Jornalista hoje precisa ser multimídia”

A ansiedade em decidir a carreira profissional, dilema entre jovens, lotou as palestras sobre jornalismo com a equipe do Departamento de Comunicação Social. Ao apresentar o curso a mais de 60 alunos, a jornalista e professora Adriana Braga reforçou a função do novo jornalista. Segundo a professora, o mercado exige, cada vez mais, profissionais multimídia, capazes de realizar diversas funções: Nicolau Galvão

– A diversificação que o mercado de jornalismo sofreu nas últimas décadas, principalmente com a internet, faz com que o jornalista se torne multimídia. Hoje, o repórter precisa desenvolver diferentes aptidões, consequência de uma concentração de funções. Para se destacar profissionalmente, é importante que o aluno faça diversos cursos e conheça mais de um idioma estrangeiro.

Além de esclarecer possíveis funções no mercado profissional, outro tema abordado pela professora foi o fim da obrigatoriedade do diploma de jornalista. Ela lembra que a vivência dentro da universidade contribui para a construção do profissional:

– A faculdade disponibiliza para o aluno uma vasta experiência. A possibilidade de estagiar dentro da faculdade e assistir a aulas de diferentes departamentos ajudam na formação profissional.

Entre os estudantes satisfeitos em esclarecer dúvidas sobre a futura profissão estava Wilian Miranda, de 17 anos, aluno do Colégio Santa Mônica de Bento Ribeiro. O estreante no PUC Por Um Dia saiu da palestra com a certeza sobre o futuro:

– Eu já estava quase certo de que queria jornalismo antes de vir à PUC. Adorei a iniciativa e agora tenho certeza do que quero fazer. Vou fazer o vestibular para todas as universidades, mas quero estudar aqui. Acho que o curso é o melhor do Rio, e a estrutura da faculdade é muito boa.

Ciclo básico auxilia na formação de cineasta

 Carlos Serra O destaque da palestra de cinema, ministrada pelo cineasta e professor do Departamento de Comunicação Social Marcelo Taranto, foi a necessidade da formação de um profissional mais completo para um mercado que, segundo ele, conjuga cada vez mais a interação entre as novas mídias e tecnologias:

– Antes, eu não considerava o ciclo básico a formação ideal. Mas hoje reconheço que esses profissionais saem mais preparados da universidade. Eu, por exemplo, fui repórter cinematográfico da Rede Globo durante oito anos, e considero essa experiência essencial para a minha formação como cineasta.

Entre a exibição de trechos de filmes produzidos por alunos da PUC-Rio e o trailer do seu último longa-metragem, Ponto final (2011), Taranto, que já trabalhou também como fotógrafo da BBC no Brasil, aconselhou aos estudantes que sonhem:

– Sonhem, idealizem. Tenham em mente, porém, que vocês precisam fazer esse sonho virar realidade. Para isso é muito importante que façam tudo com profissionalismo.