Projeto Comunicar
PUC-Rio

  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram

Rio de Janeiro, 25 de junho de 2022


Cultura

Jovens cineastas da PUC têm curtas premiados no Odeon

Tiago Coelho - Do Portal

12/11/2012

 Carlos Serra

Seis dos 66 filmes de alunos da PUC se sagraram vencedores da Mostra PUC-Rio/Kinoplex de Cinema neste domingo 11, no Cine Odeon. Em três dias de maratona cinematográfica, curtas-metragens de ficção e documentários foram exibidos no tradicional e histórico cinema da Cinelândia. Alunos e ex-alunos da universidade, do período de 2007 a 2012, estavam na expectativa pelo resultado dos filmes que sairiam vencedores. Na categoria curtas de ficção, os temas giraram em torno de traumas e tristezas da infância e da adolescência.

Qualidade, diversidade e olhar irrequieto marcam produções dos alunos da PUC

Um dos curadores da mostra, o professor do curso de cinema e crítico Miguel Pereira ressaltou a qualidade das produções e observou que os jovens cineastas revelaram um olhar irônico e carregado de humor. Sobre os temas relacionados à infância, Pereira acredita ser uma tentativa do jovem se encontrar de forma genuína.

– Esta geração busca um lugar verdadeiro e irrequieto sobre si. Uma tentativa de olhar e refletir sobre questões da infância e da juventude. Reflete de algum modo a fase da vida acadêmica. Outra coisa importante sobre esta geração é o olhar que eles têm sobre a vida, com um certo humor e ironia. Eles parecem entender o mundo sem o peso que o mundo tem sobre nós.

Carlos SerraTambém curador, o professor de cinema Arturo Netto destacou a seleção ampla e eclética, elogiada pelo júri. Ele também destacou os esforços da PUC para dar visibilidade aos trabalhos dos alunos.

– O maior prêmio para quem produz e exibe o trabalho é o reconhecimento. A PUC caminha para aparecer no mercado com qualidade. E isso é resultado do trabalho da direção do curso, dos professores e alunos.

Reflexão sobre infância e juventude presente nos três primeiros colocados

O maior prêmio da noite para a categoria filmes de ficção ficou com Rosa amarela, de 2011, da diretora Adélia Jeveaux. No filme, um menino que se afoga na piscina da escola tem um pesadelo póstumo e não entende o que aconteceu. Em discurso, a jovem diretora falou da emoção de ver o filme exibido no tradicional Odeon.

– Foi muito legal ver meu filme exibido nesta tela tão grande e num cinema com tanta história e tradição. É muito importante dar meus primeiros passos fora da universidade tendo um prêmio deste como incentivo.

Carlos SerraO curta Sobe Sofia, de 2008, ficou na segunda colocação. Do diretor André Mielnik, o filme conta os dramas da jovem Sofia, que se recolhe em suas dores e solidão no topo de seu prédio. O jovem diretor ficou feliz com a premiação e dedicou o prêmio à equipe.

– Foi um filme muito importante para mim. As parcerias que fiz perduram até hoje.

Com a medalha de bronze ficou o filme Direita é a mão que você escreve, dirigido por Paula Santos em 2008. O curta narra a história de Carolina, que esquecida pelo pai na saída da aula de balé, tenta voltar para casa sozinha, buscando enfrentar seus medos. A diretora e os membros da equipe não estiveram presentes para receber o prêmio.

Na plateia do Odeon, alunos, professores, organizadores, patrocinadores e a direção do curso aplaudiram o trabalho dos vencedores e também dos demais filmes exibidos. 

Carlos SerraAo fim da premiação, Adélia, recém-formada, falou ao Portal sobre o que a influenciou a criar uma história tão densa. Além da inspiração de outro curta feito por amigos, chamado Volta, ela buscou em questões internas a temática da morte na infância:

– Eu me debrucei nesta temática. Alguns amigos contribuíram na pesquisa. Fui pegando coisas minhas. Sempre pensei muito neste tema da morte. Me inspirei em sonhos, e em um caso parecido que aconteceu na creche que frequentava quando criança. Fui costurando casos de diversas fontes.

A jovem, que se formou em julho deste ano, pretende agora fazer mestrado no exterior com o incentivo do prêmio.

Curtas vencedores serão exibidos em circuito

Os diretores dos seis curta-metragens premiados ontem no Cine Odeon não saíram de lá apenas com alegria de terem seus filmes eleitos os melhores da mostra e com um troféu nas mãos. Os três curtas de documentário e os outros três de ficção terão suas histórias exibidas em salas de cinema do Rio. A partir de abril de 2013, nas salas do circuito Kinoplex/Severiano Ribeiro, os filmes vencedores da Mostra PUC-Rio Kinoplex de Cinema, reunidos no programa do longa-metragem “Supernova Geração”, estarão nas salas do circuito Kinoplex/Severiano Ribeiro.

O diretor do Departamento de Comunicação da PUC-Rio, Cesar Romero, destacou a importância para os alunos de terem seus filmes entrando em circuito, e falou sobre o ineditismo desta parceria:

– Os filmes vão para os festivais e raramente entram no circuito. Esse caminho alternativo é uma experiência inédita no Rio, que permite ao público conhecer o olhar de jovens talentos. A novidade dessa parceria é a possibilidade de ter seis jovens cineastas da PUC-Rio encontrando com o público na tela grande.