Projeto Comunicar
PUC-Rio

  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram

Rio de Janeiro, 21 de julho de 2024


Campus

Calouros são recebidos no Meu Primeiro Dia na PUC

Patrícia Côrtes, Rodrigo Serpellone, Tiago Coelho * - Do Portal

06/08/2012

 Maria Christina Corrêa

Nesta segunda-feira, 6, a PUC-Rio inicia o semestre com o “Meu Primeiro Dia na PUC”, responsável por recepcionar e apresentar a universidade a seus 1.300 novos alunos. O dia começou às 8h30, no ginásio, com palestras para mais de 350 calouros do Centro Técnico Científico (CTC), que engloba as diversas engenharias e os cursos de informática, química, matemática, física, arquitetura e urbanismo.

A atmosfera era de ansiedade. A estudante Helena Alcântara, de 18 anos, que fará engenharia de produção, mal podia esperar para começar a conhecer a universidade sobre a qual sempre ouviu de sua mãe, que se formou no mesmo curso em 1991 e a acompanhava no primeiro dia:

– Ela sempre falou muito daqui e, além disso, a PUC é referência na engenharia – conta a jovem.

A mãe, Patrícia Alcântara, guarda bons momentos da vida universitária:

– Cada coluna desses pilotis é uma história. Vim para ajudá-la, e para matar as saudades desse lugar e dos professores – emocionou-se a engenheira, que veio de Vitória (ES) e amanhã vai encontrar antigos colegas de turma.

Na reunião, o coordenador do Ciclo Básico de Engenharia, Gláucio Siqueira, explicou a importância das matérias comuns a todas as habilitações dos cursos, consideradas “uma preparação a mais”: Maria Christina Corrêa

– A universidade quer que vocês se preparem o quanto puderem no que vocês gostam, no que será a vida de todos daqui pra frente, profissionais prontos para o mercado sem perder a visão humana. – incentivou o professor.

Ele também exaltou os convênios firmados pela PUC-Rio com o Ciência sem Fronteiras, os programas de bolsas de Iniciação Científica e Tecnológica e os intercâmbios de curta duração, acadêmico e de dupla diplomação organizados pela Coordenação Central de Cooperação Internacional (CCCI).

A grande abertura da PUC para o mundo foi o que atraiu Luana Duran, de 23 anos, natural de Paris e nova estudante de engenharia elétrica, para “uma nova experiência no Brasil”:

– Sempre ouvi falar da universidade, que tem um grande reconhecimento no ensino e é famosa por ser muito receptiva a alunos estrangeiros – comenta Luana, cujo português perfeito se deve à mãe brasileira.

A agenda ambiental universitária foi lembrada pelo diretor do Núcleo Interdisciplinar do Meio Ambiente (Nima), Luiz Felipe Guanaes:

– A sustentabilidade é um assunto muito batido, mas há um abismo entre o que se faz e o que se pensa. O nosso trabalho é transformar esse pensamento em ações do dia a dia – sintetizou Guanaes.

 Maria Christina Corrêa Para muitos jovens, a localização da PUC-Rio também teve influência no vestibular. O calouro de engenharia civil Pedro Batouli, de 18 anos, mora perto da universidade e espera sair com uma boa qualificação:

– Minha casa fica a menos de 10 minutos da PUC. Além disso, é uma boa universidade e tenho certeza de que vou sair daqui com um diploma diferenciado, que me deixará em boa posição no mercado.

Durante e após as palestras, professores de cada área do CTC levaram os calouros para conhecer seus futuros locais de estudo. O coordenador do Departamento de Arquitetura e Urbanismo, Fernando Betim, ressaltou que o arquiteto precisa ser multidisciplinar, e para isso, pode aproveitar outras áreas da universidade:

– O aluno de arquitetura precisa de uma série de vivências de outras áreas do saber. A PUC-Rio é referência nacional em termos de pesquisa e, por isso, devemos usufruir dessa grandiosidade da qual temos disponível. Maria Christina Corrêa 

Bem-humorado, o vice-reitor comunitário, Augusto Sampaio, arrematou:

– Somos o único departamento que não tem trote, mas temos pelo menos umas três mil choppadas. Sejam bem-vindos, estudem e moderem no álcool – disse, arrancando risadas dos alunos.

Missa 

Ao meio-dia foi realizada a missa de recepção aos calouros, celebrada pelo padre Luís Corrêa Lima, professor do Departamento de Teologia. Cerca de 170 pessoas estiveram na celebração. O padre destacou a importância do primeiro dia da vida universitária dos jovens, e ressaltou a diversidade religiosa presente na PUC:

– A PUC, mesmo sendo uma instituição cristã, é, antes de tudo, um universo de encontro de diferentes saberes e de um pluralismo de ideias.

Padre Luís Corrêa Lima desejou sorte aos novos estudantes na caminhada universitária:

– A PUC é um lugar muito querido por todos nós. Ela é um segundo lar. Desejo que vocês possam ter excelentes lembranças da faculdade.

Vinícius Bandoli Cristaldo, de 18 anos, calouro de Relações Internacionais, tem grande expectativa para o início das aulas:

– Estou muito animado e espero que isso continue no decorrer do curso. Acho muito bom ter a missa. O mais legal é ser uma missa que procura acolher não apenas os cristãos, mas, acima de tudo, os universitários.

Ao fim da celebração, o reitor da PUC-Rio, padre Josafá Carlos de Siqueira, destacou o início da caminhada e saudou os novos alunos:

– É uma alegria poder acolhê-los, e acredito que vocês serão muito felizes. Que sejam bem-vindos.

À tarde, a vez da comunicação

 Ligia LopesÀ tarde, foram recepcionados os calouros de comunicação social e dos demais centros. Cerca de 500 calouros dos cursos de comunicação social e design se reuniram no ginásio da PUC, onde receberam as boas-vindas à universidade e se informaram sobre os serviços e as novidades para este semestre. Ansiedade, expectativa e animação estampavam as expressões no rosto dos novos alunos, que ouviam atentamente as explicações de profissionais do Departamento de Comunicação.

O coordenador do curso de graduação do Departamento de Comunicação Social, Leonel Aguiar, destacou que os calouros chegam em um bom momento para o curso de comunicação, que completa 60 anos neste semestre, e convidou a todos para a grande festa que marcará a data, em 20 de outubro:

– Os novos alunos chegam num momento de muita festa para o Departamento de Comunicação Social, que tem o maior número de alunos na universidade (2 mil alunos). Todos serão muito bem-vindos para a grande festa que estamos preparando.

Distribuídos em quatro salas, cerca de 180 novatos assistiram às palestras dos professores do departamento Arthur Ituassu, Claudia Pereira, Leonel Aguiar e Adriana Braga. Para além das boas-vindas, os estudantes aprendiam termos que farão parte do vocabulário daqui em diante, como atividade complementar e iniciação científica.

“Os seus próximos quatro anos serão muito interessantes aqui na universidade”, disse o professor Arthur Ituassu, coordenador do Curso de Jornalismo da PUC-Rio, aos novos alunos.

Além das explicações sobre a grade curricular e os laboratórios do curso, Arthur Ituassu ressaltou a importância em se conhecer e aproveitar a Biblioteca da PUC-Rio:

– A leitura e o conhecimento geral é um diferencial na formação do comunicador. Ter uma boa bagagem cultural e intelectual é essencial.

Durante a primeira reunião dos calouros em sala de aula, foi distribuído um kit contendo a Grade Curricular, o CD de apresentação “Braços e Portões Abertos”, um folheto do Portal PUC-Rio Digital e o Manual do Calouro, produzido pelo Centro Acadêmico de Comunicação Social, contendo mapas do campus, dicas de restaurantes e avisos sobre os eventos no Cacos.

Todas as novidades e informações passadas durante o primeiro dia na universidade deixaram a estudante carioca Beatriz Perez, 19 anos, ainda mais disposta. Caloura de publicidade, ela se diz pronta para encarar o primeiro período, apesar do ligeiro temor com o trote.

– Estou muito animada para começar a estudar, e pretendo me esforçar para conhecer os outros cursos do departamento – disse Beatriz.

Amigas desde o Ensino Médio no Colégio Notre Dame, Isabela Midlej e Marina Moulin, de 18 anos, e Giulia Rotstein, de 17, comemoravam o fato de as três terem passado para o curso de comunicação da PUC, mas lamentavam não terem ficado na mesma sala. As habilitações que escolheram também são diferentes: publicidade, cinema e jornalismo, respectivamente. Animadas, disseram ter escolhido a PUC por ser considerada uma das melhores do país. Isabela confessou sentir “ansiedade e medinho”, equanto Marina disse estar animada para cursar as matérias de cinema:

– Sempre foi meu sonho fazer cinema. É tudo tão diferente da época do colégio... Não vejo a hora de ter aulas de edição e fotografia.

A integrante do Centro Acadêmico de Comunicação Social (Cacos) Mariana de Oliveira estava presente na recepção para orientar os calouros e promover a socialização dos novos alunos.  A veterana do 4º período diz que a intenção do Cacos é “dar uma luz” aos recém chegados para não ficarem perdidos e fazê-los bem-vindos à universidade. Ela adianta que várias comemorações os esperam:

– Vamos dar as boas vindas no Pilotis, mostrar as salas de aula e depois convidá-los para conhecer o Seu Pires. E nesta semana vamos promover uma pré-chopada no Baixo Gávea para todos se conhecerem.

Júlia Cesar, 19 anos, também estava ansiosa em seu primeiro dia na universidade. A irmã mais velha, Jéssica Cesar, se formou semana passada em Jornalismo na PUC, e estagia na Globo.com. Júlia passou para Desing de Mídias. Uma de suas motivações para escolher a universidade foi a chance de obter bolsa, como a irmã. A família morava em Carmo, interior do estado, e veio para capital há cinco anos, quando Jéssica começou o curso. A consultora de vendas Nilza Cesar acompanhou a filha:

– A Vice-Reitoria Comunitária orientou a comparecer as aulas até que saia a resposta do pedido de bolsa, dia 15. É sofrido experimentar sem a certeza de que vai continuar, mas faz parte da trajetória dela. Estamos pensando positivo.

Depois de obter a aposentadoria com o trabalho de contadora, Elisabete Regina Gomes, de 55 anos, decidiu buscar seu sonho de trabalhar com moda. Prestou vestibular para o curso de Design onde pretende cursar design de moda. Elisabete se diz “maravilhada” com a entrada na universidade e a possibilidade de realizar um antigo sonho:

– Estou muito feliz com este novo desafio. É tudo muito novo para mim. Eu sempre desenhei roupas e agora vou aprimorar com a técnica adquirida no curso. Pretendo tirar o máximo desta experiência.

 Ligia LopesIsabela Zaremba, 18 anos, foi influenciada pela irmã. Quando estava no Ensino Médio, ficou em dúvida entre os cursos de Psicologia, Design e Comunicação.

– Além de gostar de publicidade, o entusiasmo da minha irmã, que faz Jornalismo, contou muito para a minha escolha.

 A caloura está cheia de expectativas para o curso, já que a PUC, além de ter uma universidade conceituada, tem um clima descontraído no campus.

– Agora a fase de colégio acabou, tenho que estudar. Acho que vai ser um ótimo semestre. 

Colaboraram Amanda Reis, Ana Luiza Cardoso, Monique Rangel e Vítor Afonso.