Projeto Comunicar
PUC-Rio

  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram

Rio de Janeiro, 25 de junho de 2022


Meio Ambiente

Embaixador antecipa as posições do país na Rio+20

Patrícia Côrtes - Do Portal

09/05/2012

 Jefferson Barcellos

O embaixador André Corrêa do Lago, negociador-chefe do Brasil na Rio+20, vai esclarecer, em seminário na PUC-Rio, a posição do governo brasileiro nos tópicos que serão discutidos na conferência mundial, em junho, como os caminhos para a economia verde, a matriz energética maia limpa e o consumo equilibrado. Marcada para a próxima quinta. às 12h, no auditório do RDC, o encontro reunirá também o reitor da universidade, padre Josafá de Siqueira; o professor Luiz Felipe Guanaes, diretor do Núcleo Interdisciplinar do Meio Ambiente (Nima) e Fernando Walcacer, vice-diretor do setor de direito ambiental do Nima

 – Temos a tendência de sempre separar a opinião dos governantes da do povo, e não é bem assim. O governo não é à parte de nós. A posição marcada por eles na Rio+20 representará todo o país. Por isso, é importante discutir e entender cada tópico, para saber se concordamos ou se fazemos pressão para mudar – observa Guanaes.

 A “pressão”, segundo ele, tem de vir, principalmente, dos jovens, "cujo futuro será afetado pelas decisões tomadas agora". Por isso, ressalta Guanaes, a presença dos estudantes no debate é fundamental. Quem não puder ir ao auditório do RDC poderá acompanhar a palestra, ao vivo, pela internet: será transmida pelo Portal PUC-Rio.

Corrêa do Lago antecipou, em outubro do ano passado, também na PUC-Rio, alguns dos aspectos essenciais às discussões em torno de um país e de um mundo sustentáveis. O embaixador alertou que a implantação de ações e políticas mais comprometidas com as exigências ambientais exige, entre outros fatores, maior participação social. Só assim, segundo ele, pode-se estabelecer, por exemplo, um padrão de consumo harmônico.

Na opinião de Guanaes, a adesão dos cidadãos, inclusive dos estudantes, nos debates do gênero tende a crescer à medida que se perceba melhor os benefícios – ambientais, econômicos, sociais – dos avanços de sustentabilidade. O professor acredita que a pauta ambiental ganhará mais espaço no mercado e abrirá novas oportunidades profissionais:

– A hora de escolher um lado é agora. Não adianta deixar nas mãos dos mais velhos, que estão na linha de frente. Esperamos que todos venham discutir o próprio futuro e o da geração seguinte – convida.

 

Sobre o embaixador

André Aranha Corrêa do Lago nasceu no Rio de Janeiro em 1959, se formou em Ciências Econômicas pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e se tornou embaixador no Instituto Rio Branco, em Brasilia no ano de 1983. Desde então, exerceu funções diplomáticas em: Madri (1986-1988), Praga(1998-1991) Washington (1996-1999)Bueos Aires(1999-2001) e Bruxelas.(2004-2008) Foi secretário-executivo do  Grupo de Trabalho da Conferência Internacional sobre Biocombustíveis que aconteceu na cidade de São Paulo em novembro de 2008, foi subsecretário-geral,interino, de Energia e Alta Tecnologia do Ministério de Relações Exteriores.

Em 2007,publicou um livro, "O Brasil e as três conferências ambientais das Nações Unidas". Nele, Lago escreve sobre os principais temas, as preparações, as críticas e conquistas da Conferência de Estocolmo, da Rio 92 e da Cúpula de Joanesburgo além do papel do Brasil em cada uma delas.