Projeto Comunicar
PUC-Rio

  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram

Rio de Janeiro, 16 de dezembro de 2018


Economia

Comunicação ajuda a atenuar crises corporativas

Gabriela Caesar - Do Portal

12/10/2011

“Se a crise cair numa quarta-feira é melhor, porque tem futebol, então o jornal é menor”, brincou Monica Medina, sócia-diretora da agência de publicidade Ogilvy, no último dia 30, na PUC-Rio (assista à palestra). A convite da professora do Departamento de Comunicação Social Marlene Lopes, Monica explicou aos estudantes o papel da comunicação para prevenir e atenuar crises corporativas. Ela enfatizou o impacto dessas turbulências na reputação da empresa – ao produzirem uma imagem institucional negativa –, assim como na legislação – com o surgimento de leis que “limitam a liberdade comercial e, portanto, inviabilizam novos projetos“.

A executiva da Ogilvy observou que as empresas tendem a contratar número crescente de profissionais para o monitoramento em redes sociais (leia mais). A verificação é igualmente importante no fechamento de negócios. Segundo ela, a agência estuda cuidadosamente o histórico do possível cliente antes de decidir – “a menos que seja muito bem recomendado”, ressalvou.

– Hoje, a empresa precisa de mais mãos, mais gente para analisar o conteúdo da internet. Antigamente, era análise de clipping – comparou.

Como exemplo de erro na comunicação corporativa numa crise, Monica lembrou o caso do vazamento de 1,3 milhão de litros de óleo na Baía de Guanabara, em 2000. Para ela, a Petrobras “deveria ter focado em minimizar a situação”. Ainda de acordo com a especialista, “o pior que pode acontecer para a empresa” são sátiras na internet, como o vídeo em relação à petroleira BP. “A empresa virou piada”, constatou.