Projeto Comunicar
PUC-Rio

  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram

Rio de Janeiro, 15 de junho de 2024


Cultura

Nova York é cenário de fotógrafos amadores

Ligia Lopes - Do Portal

11/10/2011

 Divulgação/Diane Arbus

Andreas Valentin é formado em História da Arte nos Estados Unidos e doutor em História da Fotografia; Paulo Marcos de Mendonça Lima fez fotografia no Brooks Institute of Photography da Califórnia, e foi editor de Fotografia nos jornais O Globo, O Dia e Lance!. Os amigos, fotógrafos há 30 anos, combinaram de passar a Semana Santa de 2012 juntos, clicando Nova York e visitando museus e centros culturais. Desta vez a trabalho, vão apresentar a Big Apple e ensinar sua arte a um grupo de brasileiros também amantes da fotografia. As inscrições para a primeira edição do workshop Nova York bem na foto, planejado pela dupla para março, já estão abertas.

Foi Paulo Marcos quem pensou no workshop, e convidou Andreas, parceiro de outros trabalhos, para o projeto. A ideia surgiu pela afinidade de ambos com a cidade (Andreas já morou lá e Paulo Marcos já passou temporadas na casa da irmã), e da própria Nova York com a fotografia.

– Nova York é um lugar almejado por muita gente, tem esse charme. Não só a fotografia de Nova York tem uma importância muito grande, como a cidade naturalmente já suscita o interesse das pessoas. Pensamos em Buenos Aires, Los Angeles, mas Nova York foi o que pareceu ser mais fácil. Paris também suscita o interesse, pela própria cidade, mas nosso francês não é tão bom quanto o inglês – explica Paulo Marcos.

Sobre o público interessado no workshop, os professores não têm ideia formada. Só têm certeza de uma coisa: todos serão apaixonados pela arte de fotografar.

– Não sabemos muito o perfil de quem vai, mas o comum é a paixão pela fotografia. É até meio clichê falar isso, mas é verdade. Vamos nos surpreender. Não tem que ter paixão por ser fotógrafo, porque não é só a coisa prática nem só teórica, acadêmica, por isso há os passeios e as palestras. Tem que ser paixão, e não simplesmente um gosto. Eu, por exemplo, gosto de vinho, mas não sou apaixonado a ponto de querer participar de um workshop de vinhos – compara Paulo Marcos.

 Divulgação/Alfred Stieglitz O programa e as atividades serão acompanhados de perto pelos professores. Paulo Marcos pretende que os alunos exercitem o olhar sobre Nova York, e se deixem ser influenciados pelos olhares de fotógrafos importantes, desde 1930 até os dias de hoje. Além das saídas fotográficas para aprofundamento de técnicas, das visitas guiadas por eles aos acervos de museus e galerias e da análise crítica dos trabalhos, Andreas e Paulo Marcos vão apresentar a história da fotografia moderna e contemporânea, dando ênfase ao trabalho de fotógrafos como Diane Arbus, Edward Steichen e Alfred Stieglitz.

– Nova York é muito fotografável, sempre foi. Vamos ter saídas fotográficas, mas a ideia é que os alunos saiam por conta própria para fotografar também. No último dia de workshop vamos analisar os trabalhos dos alunos, conversar sobre o que foi feito nesse período – explica Andreas, coordenador do curso de Especialização em Fotografia da Universidade Candido Mendes (onde Paulo Marcos também dá aulas) e professor da Uerj.

 Divulgação/Edward Steichen Andreas conta que o objetivo do workshop é fazer um turismo cultural pela fotografia, mas o workshop inclui compras:

– Os alunos devem levar as próprias câmeras, mas nós vamos à BH, maior loja de fotografia de Nova York e provavelmente do mundo, para quem quiser comprar equipamento. A BH é o paraíso, a Disney dos fotógrafos – lembra Andreas.

Dependendo da quantidade de alunos, Paulo Marcos explica que ele e Andreas poderão dividir as saídas. Mas as palestras e a análise serão feitas conjuntamente, pois os olhares diferenciados dos professores contribuem na avaliação:

– Em termos de ver fotografia, existe a diferença bastante acentuada, porque o Andreas é fotógrafo há muitos anos, mas ele teve atuação também como designer e videomaker, além da atuação na academia, dando aula. Eu tenho a prática de ter sido editor de jornal por muitos anos em jornais grandes como O Globo. O Andreas tem prática em ensinar a história da fotografia, a história da arte, então são dois olhares que se complementam. Eu tenho mais facilidade em editar para jornal diário, e ele para contextualizar qualquer imagem fotográfica dentro da história da arte e da fotografia. Eu tenho o olhar mais do fotojornalismo documental; ele, mais o olhar histórico, acadêmico.

O workshop será de 30 de março a 9 de abril de 2012. O curso custa US$ 5.500 por pessoa, mais taxa de embarque (US$ 196), incluídos bilhete aéreo (classe econômica), tarifa de grupo para trecho Rio/NY/Rio, oito noites no Hotel Affinia Manhattan em apartamento duplo (a ser compartilhado), com café da manhã, traslados aeroporto/hotel/aeroporto, cartão de assistência de viagem, bilhete de metrô e os ingressos para museus. As inscrições devem ser solicitadas por fax ou e-mail, até janeiro. As reservas são feitas diretamente na operadora KnowHow, pelo telefone (21) 2532-2066 ou pelo e-mail info@knowhow.tur.br.