Projeto Comunicar
PUC-Rio

  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram

Rio de Janeiro, 23 de maio de 2024


Cultura

Rock in Rio, eu não vou!

Gabriel Picanço * - Do Portal

23/09/2011

Lucas Terra

O maior festival de música do mundo começa nesta sexta-feira. Muita gente não conseguiu ingresso e daria tudo para assistir aos shows de Katy Perry, Rihanna, Elton John, Red Hot Chili Peppers. O estudante de direito da PUC Marcelo Neves, de 19 anos, até pensou em ir, mas não pelas atrações musicais. É que a namorada, Ana Ventorini, faz aniversário neste dia (19 também), e fez questão de comemorar no festival. Mas ela vai sozinha. Fã de música eletrônica, ele estará em alguma boate na Barra, com amigos que também não vão ao Rock in Rio. Assim como Marcelo, uma legião vai aproveitar as muitas opções de diversão para quem não quis ir ao festival ou ficou sem ingresso (veja dicas de eventos off-Rock in Rio no quadro abaixo).

Lucas Terra – Não estava tão a fim de ir, não gosto muito das músicas. Minha namorada comprou o ingresso, mas não me avisou na hora. Foi muita concorrência e não consegui comprar. É aniversário dela, queria ficar com ela nesse dia, eu estou meio chateado. Mas vou sair com amigos. Sexta-feira não tem como ficar em casa.

Ana, a namorada, tentou até a última hora um ingresso de segunda mão para Marcelo, nem que fosse com cambistas. Mas ele não concorda com os preços cobrados, altos demais. Prefere guardar o dinheiro para um show que tenha mais a ver com o seu gosto musical:

– É bom que economizo dinheiro para o show do Snoop Dogg.

Um roteiro off-Rock in Rio

Primal Scream: A banda escocesa se apresenta no Circo Voador na sexta, dia da abertura do Rock in Rio, em mais um show financiado pelo público através do projeto Queremos. O show faz parte da turnê mundial que comemora o aniversário do clássico Screamadelica, de 1991, e foi negociado há um mês. 

Roubada In Rio: O Teatro Odisseia transforma sua festa A Grande Roubada, de punk e rock, em um minifestival em noites alternativas para atrair os fãs das bandas de rock pesado que tocam no megaevento, como Metallica, Slipknot, Mothorhead e System of a Down. Na sexta-feira dia 23 tocam Ratos de Porão, Flicts, Kopos Sujos e Repúdio. No sábado dia 1, Mukekka di Rato, U.D.R, Miami Bros e Undertow.

Pop in Rio: Uma festa para fãs de Katy Perry e Rihanna para quem não quer ou não pode ir à Cidade do Rock. Será no sábado, dia 24, no Galeria Café, em Ipanema.

Rock in Healing Gathering: Nos 11 dias de festival, essa espécie de retiro serve tanto para quem quer fugir do barulho das guitarras quanto para quem vem à cidade para o festival e também quer acampar, curtir a natureza e aproveitar o “fluxo humano e energético trazido por esse grande evento que é o Rock in Rio”. Na Aldeia Nova Terra, Vargem Pequena.

F* in BoxPara quem não está dando a mínima para o megafestival. Na Box35, no bairro de São Domingos, em Niterói, a festa vai reunir nesta sexta DJs de diversas festas de Rock e Pop, como Baderna!, PopCorn, Skore, Toy Machine e Lollipop!

Os 600 mil ingressos evaporam em três dias. Em julho foi anunciado mais um dia de festival, com artistas como Stevie Wonder, Jamiroquai, Joss Stone, Ke$ha e Janelle Monáe. Dessa vez, os ingressos, vendidos somente pela internet, duraram um pouco mais. As vendas para a data extra começaram no dia 23 de julho e terminaram em 5 de agosto.

Na corrida ao ouro que foi a venda dos ingressos do Rock in Rio, se deu bem quem teve sorte e rapidez para comprar pela internet ou muita disposição para aguentar as filas quilométricas nos pontos de venda. Precavido, o estudante de jornalismo da PUC-Rio Raphael Martins, de 21 anos, comprou o Rock in Rio Card em novembro de 2010, na fase de pré-venda. Ainda eram poucas as atrações confirmadas, mas ele não quis correr risco e garantiu o ingresso para ver sua banda favorita, o Red Hot Chili Peppers, que toca neste sábado. Porém, a uma semana do show, o Botafogo Mamutes, time de futebol americano do qual é técnico, se classificou para um jogo decisivo em Curitiba bem no dia do show da banda californiana. Resultado: Raphael não vai mais ao Rock in Rio.

– Fiquei bem triste porque sempre curti muito Red Hot, já tive até banda cover dos caras. Mas o futebol americano é a minha paixão. Como técnico, nem penso em deixar meus atletas na mão em um jogo tão importante. Se ganharmos, garantimos mando de casa na primeira rodada dos playoffs.

Raphael conseguiu passar a frente o seu ingresso. Fez feliz um amigo que não iria ao show. Com o dinheiro do ingresso, vai pagar a passagem para Curitiba:

– Vendi meu ingresso para um amigo que é músico e se amarra em Red Hot. Por isso, fiquei até feliz. Dei a chance a um amigo que também nunca viu um show do Red Hot.

Outro fã de Red Hot Chili Peppers que não poderá assistir ao show por muito pouco é Rodrigo Schneiderman, de 19 anos, estudante de economia no Ibmec. No último sábado, exatamente uma semana antes do show, Rodrigo se contundiu num jogo de futebol entre amigos.

– Foi no lance final da partida, tive o azar de torcer o pé. Ficou muito inchado, fui parar no hospital. Isso anulou completamente as chances de ir ao show.

Assim como Raphael, Rodrigo tinha garantido o ingresso ainda na pré-venda. O acidente o impedirá de ir ao show ou fazer qualquer outro programa por um bom tempo.

– No sábado eu vou ficar em casa, vou aproveitar e estudar para provas. Não vou querer assistir ao show na TV, tamanha é a minha raiva por perder o show.

Para quem não garantiu o ingresso, a Rede Globo vai transmitir partes dos shows durante a madrugada. Na TV por assinatura, o Multishow apresentará ao vivo e na íntegra os shows do Palco Sunset, a partir das 16h30, e as apresentações do Palco Mundo, às 19h. Na internet, o portal Globo.com transmite ao vivo todos os shows dos dois palcos.

 Arte: Lucas Terra

Não é o caso do ator e escritor Daniel Zubrinsky, de 28 anos, que não vai assistir ao festival por convicção. Daniel vai passar a noite desta sexta-feira no teatro. Para ele, o momento de lazer ideal não tem bagunça ou desorganização, características inerentes a um evento desse porte:

– Tenho muita preguiça de me reunir com uma multidão num evento puramente comercial. Me incomoda bastante também essa coisa de todo mundo se mobilizar por coisas bobas a ponto de ficar horas e horas conversando sobre isso, enquanto ninguém discute coisas mais sérias, como a corrupção, que alimenta praticamente todos os nossos problemas.

 

* Colaboraram Lucas Terra, Igor de Carvalho e Monalisa Marques.