Projeto Comunicar
PUC-Rio

  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram

Rio de Janeiro, 25 de julho de 2024


Economia

FSB oferece estágios para alunos a partir do 4º período

Jorge Neto - Do Portal

18/08/2011

 Eduardo de Holanda

“Sempre há vagas para pessoas boas”, lembrou Bruno Scott, diretor de RH da assessoria de comunicação FSB, aos 30 alunos reunidos, nesta quarta-feira, na sala k-102 da PUC-Rio. “Se tiverem seis bons estagiários e só estivermos precisando de quatro, vamos acabar contratando os seis”, garantiu. Scott explicou aos estudantes que o programa de estágio da empresa não tem número definido de vagas: as contratações são feitas "de acordo com a demanda".

Ele também afirmou que, embora o processo seletivo acolha principalmente graduandos das áreas de comunicação social (jornalismo, publicidade e relações públicas) e design, a assessoria estimula a adesão de estudantes de outras áreas, como direito e administração. Os candidatos devem estar regularmente matriculados a partir do 4º período. Para avaliar as competências, são feitos testes de inglês e de texto, entrevista individual e dinâmica de grupo. As inscrições podem ser feitas pela internet: http://www.fsb.com.br/pt/.

Segundo Scott, o crescimento da empresa superior a 30% na ultima década impulsiona um maior número de contratações – média de dois funcionários ao mês, ainda comforme o diretor de RH. Ele observa que "novas demandas e estratégias" produzem um novo perfil de profissional desejado:

– No início, nós contratamos muitos profissionais experientes. Agora, estamos procurando novas idéias, profissionais mais "digitais" e preparados – esclareceu o palestrante, referindo-se a habilidades em tecnologias e pletaformas digitais.

Em busca de estudantes que possam preencher esses requisitos, a FSB decidiu intensificar o contato com as principais universidades a partir de uma rodada de palestras. A da PUC-Rio foi a primeira.

A FSB tem como carro-chefe a assessoria de imprensa, mas aplica o modelo – crescente no mercado – de integração de serviços de comunicação. “Fazemos a assessoria e também ajudamos no planejamento”, destacou Scott. Ainda em relação ao perfil da empresa, o palestrante observou que grande parte dos clientes vem da administração pública e correspondem a 45% da receita. 

 Eduardo de Holanda

Participou também da palestra o jornalista Ricardo Miranda, diretor do Núcleo de Imagem e Mídia da FSB e professor da PUC-Rio. Ele apontou caminhos para o jornalismo, e "profetizou": “O impresso precisa se adaptar. Leitores como eu nunca conseguirão deixar de ler o jornal, mas, se não houver atualização para renovar o público, tudo acabará quando o papel digital for comercializado”. Miranda referiu-se à "folha" digital que reuniria notícias atualizadas ao longo do dia. “Não existirá mais fechamento na redação”, acrescentou.

Enquanto a mídia impressa ainda busca a renovação, o professor ressaltou que o mercado já exige um profissional mais versátil, integrado às novas tecnologias e capacitado para a produção em mais de uma plataforma de comunicação. Ele :

– O profissional deve ter a capacidade de se comunicar de forma adequada, estar sempre conectado às novas mídias e se atualizar sempre, mas o mais importante continua sendo um texto de qualidade – ressalvou.

Miranda reforçou, por fim, que os estudantes devem estar atentos, e preparados, às mudanças do mercado:

– O formando não pode ter mais aquela mentalidade de redação de 20 anos atrás. Hoje elas estão quase estagnadas, poucos saem e praticamente ninguém entra. O caminho para o jornalista é a assessoria de imprensa, que antes era vista como o caminho dos incapacitados.