Projeto Comunicar
PUC-Rio

  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram

Rio de Janeiro, 20 de junho de 2024


Economia

China também é a nova força para intercâmbios

Caroline Hülle e Jorge Neto - Do Portal

15/08/2011

 Eduardo de Holanda

A China é a nova opção de intercâmbio de curta duração em parceria com a PUC-Rio. Foram abertas nesta segunda-feira as incrições para 15 vagas dirigidas a quem quer aprender mandarim e conhecer um pouco da cultura chinesa durante um mês, nas férias. Embora seja destinado predominantemente a estudantes, o programa da Coordenação Central de Cooperação Internacional (Edifício Padre Leonel Franca, 8º andar) estende-se a professores, funcionários e ex-alunos da universidade. O preço (US$ 800) não inclui passagem aérea, nem acomodação.

Também foram abertas nesta segunda as incrições para o curso de alemão em Berlim (1.450 euros, incluída acomodação). Os novos destinos refletem o crescimento do mercado de intercâmbio no país. De acordo com a Associação Brasileira de Operadores de Viagens Educacionais e Culturais, a procura aumentou em até 50 %, em relação ao ano passado. Na PUC-Rio, a CCCI registrou salto de 30% nos últimos quatro anos.

Para o programa Beijing International Studies University, em Pequim, serão oferecidas cinco bolsas a estudantes com “bolsas PUC” e Prouni. Incluem auxílio de hospedagem, alimentação e transporte. Para concorrer a essas bolsas, o estudante deve apresentar declaração de bolsista, da Vice-Reitoria Universitária. A exigência também vale para os benefícios dos intercâmbios de longa duração, cujas novidades são Polônia e Índia.

Veterana em intercâmbio, Taise Moreira, do 6º período de jornalismo, estudou no exterior por duas vezes e pensa em fazer mestrado na França. Antes de entrar na PUC-Rio, em 2008, Taise passou seis meses aprimorando o inglês em Vancouver, no Canadá. Já como universitária, passou uma temporada na Universidade de Miami, onde cursou disciplinas de comunicação. Ela lembra que, "embora tenha feito "amigos do mundo todo", participado de várias festas e arrumado "um namorado espanhol", o "foco no estudo é fundamental":

 Arquivo Pessoal

– Miami é conhecida pela noite agitada, mas também me dediquei muito. Eles cobram bastante na universidade. Além dos muitos livros e provas, comecei a estudar política, o que me possibilitou fazer domínio adicional em política internacional na PUC, nesse semestre.

Taise sempre quis ser correspondente internacional. Assim, considera que o domínio em política e em outras línguas facilitarão a entrada no mercado de trabalho "muito competitivo".

– As pequenas coisas que te diferenciam e colocam à frente dos outros de alguma forma são essenciais para garantir um emprego – reforça.  

João Marcos Rampini, coordenador de intercâmbio da CCCI, afirma que a procura pelos pacotes acadêmicos de longa duração aumentaram. Nessa opção o aluno fica de seis meses a dois anos cursando a faculdade no exterior. Segundo ele, a necessidade de "diferenciar o currículo do jovem" e a valorização do real frente ao dólar contribuem para esse avanço.

Intercambistas devem ficar atentos às leis e culturas estrangeiras 

Conhecer as leis e os comportamentos típicos dos respectivos destinos é um cuidado essencial para que o estudante aproveite melhor a temporada no exterior e evite problema, especialmente em intercâmbios de maior duração. "Mesmo quando se quebra a rotina por quatro semanas, certos comportamentos devem ser evitados", ressalva Luís Schoggi, estudante do 6º período de engenharia química e intercambista de curta duração.

– Alguns colegas acabaram se envolvendo com drogas durante a viagem. Felizmente, não aconteceu nada – conta – Alguns passaram mal, mas não tiveram de ir ao hospital. Sorte deles. A primeira coisa que fariam no hospital seria chamar a polícia e eles acabariam extraditados – adverte.

 Arquivo Pessoal

Apesar de algumas experiências "negativas", Schoggi acredita que a viagem tenha sido "muito positiva", até por somar mais algumas linhas no currículo. Ele escolheu um destino típico para o intercâmbio de curta duração, por favorecer o deslocamento para outros países:

– A viagem que fiz para a Alemanha serviu como uma lição de vida. A cidade de Dresden (onde ficou) é no centro da Europa. De lá era possível ir a qualquer lugar. Passei meus finais de semana em quatro países diferentes. O curso de línguas é fundamental como diferencial, mas não se pode relevar a parte mais importante do intercâmbio, estar em outro país, viver outra cultura. É muito importante se desligar de tudo e viver só aquilo.

Embora destinos menos tradicionais em intercâmbio, como China, Índia e Polônia, tenham se incorporado ao repeertório de intercâmbio, roteiros tradicionais seguem valorizados. Rampini diz que os estudantes continuam “fiéis aos clássicos”:

– A PUC busca abrir fronteiras para os alunos. Há cinco anos estamos incluindo novos itinerários. A procura, entretanto, continua maior para os países tradicionais, como os Estados Unidos, Canadá, França, Portugal, Espanha e Alemanha.

A Copa do Mundo e os Jogos Olímpicos no Rio de Janeiro têm atraído os estudantes estrangeiros interessados em vir estudar na PUC-Rio, acrescenta Rampini. Ainda segundo ele, o número de estrangeiros aumentou aproximadamente 26% no ano passado, em relação a 2009.

 Requisitos para se candidatar nos programas de Intercâmbio Acadêmico e Dupla-Diplomação:

- Alunos de graduação devem ter cursado, no mínimo, 40 créditos do currículo

- CR acumulado igual ou superior que 7,0

- CR acumulado igual ou superior que a média do curso

- Histórico sem mais de três reprovações

- Comprovar que não tem possibilidade de concluir os estudos durante o intercâmbio (todos os alunos devem, obrigatoriamente, cursar pelo menos mais um período na PUC após o retorno)

- No caso de países de língua inglesa, apresentar certificado do exame TOEFL com pontuação mínima de 213 (Computer-Based Testing – CBT) ou 80 (Internet – Based Testing – iBT); para outros países deve-se apresentar declaração em documento oficial do curso  de línguas

Documentação necessária:

- Cópia da identidade e CPF do aluno e do responsável

- Cópias do Histórico da PUC-Rio e Histórico do Ensino Médio

- Duas Cartas de Recomendação de professores ou pesquisadores do departamento. Ambas devem ser escritas em português e inglês, exceto para alunos com destino para países de língua portuguesa e/ou espanhola

- Cópias dos comprovantes de atividades acadêmicas e proficiência na língua do país destino

- Carta de apresentação

- Curriculum Vitae  

- Foto 3x4 recente

- Comprovante de pagamento da taxa inicial de R$250,00

OBS.: Nesses dois tipos de intercâmbio existe oportunidade de bolsas próprias para bolsistas da PUC. Mais informações no site www.puc-rio.br/ccci.

OBS 2.: Os critérios de inscrição e documentação do programa de intercâmbio de curta-duração variam dependendo do solicitante. Mais informações no site.

SEGURANÇA: É obrigatória a contratação de um seguro de saúde internacional. Além disso, as universidades conveniadas contam com o International Office (Centro de apoio ao aluno internacional) que presta assistência em casos de emergência.