Projeto Comunicar
PUC-Rio

  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram

Rio de Janeiro, 16 de dezembro de 2018


Cultura

Festival de Cinema Universitário abrirá espaço a longas

Caroline Hülle e Gabriela Caesar - Do Portal

01/08/2011

 Gabriela Caesar

O 16º Festival Brasileiro de Cinema Universitário amplia o espaço dedicado ao longa-metragem. Com a crescente produção em universidades e cursos de cinema no país, os organizadores do FBCU fazem, nesta edição, um laboratório para medir a aceitação pelo público. "Se a resposta for positiva, é provável que lancemos, no próximo ano, uma mostra competitiva de longas", adianta Guilherme Tristão, um dos coordenadores do festival, responsável pela Mostra Competitiva Nacional. O Portal PUC-Rio acompanhou, quinta-feira passada, no Centro Cultural Correios, no Centro, a abertura do FBCU, que permanece até o próximo domingo no Rio e segue para São Paulo, onde ficará até o dia 14.

Para o diretor Marcelo Taranto, professor do curso de cinema da PUC-Rio, a ampliação do espaço de longa é válida, mas considera até mais importante a valorização do curta-metragem. "A experiência em produção de curtas é essencial para a formação profissional. Todo cineasta deve passar por experiências em curtas antes de fazer longas, para desenvolver habilidades como trabalhar bem o roteiro, lidar com atores e ter uma noção exata do tempo dramatúrgico", argumenta Taranto.  

Tradicional catalisador de talentos, como Bruno Safadi, diretor de Belair e Meu nome é Dindi, o Festival Brasileiro de Cinema Universitário recebeu, neste ano, 700 inscrições de curtas. Um deles é Copyright Cops, do formando da PUC-Rio Julio Secchin. Ele revela que pretendia lançá-lo na web:

– A ideia inicial era compartilhar o filme de seis minutos e meio (mais três minutos de créditos) quase que exclusivamente pela internet. O FBCU, no entanto, apareceu como a chance de exibir o curta, principalmente para ver qual é a reação da plateia e conhecer melhor as demais produções universitárias em cartaz – recorda.

Outra novidade do festival, fora o espaço maior destinado aos longas, é o peso também superior de São Paulo em relação aos anos anteriores. Tristão acredita que, assim, a iniciativa ganha "equilíbrio":

– Ex-coordenadores do FBCU continuam em contato conosco e ajudam bastante. Cristian Borges, professor da Escola de Comunicação e Artes (ECA-USP), por exemplo, abriu portas para o festival em São Paulo. A intenção do "reforço" em São Paulo é dar maior equilíbrio às capitais.

 Gabriela Caesar

No Rio e em São Paulo, o Projeto Sal Grosso possibilita a produção de roteiros escritos por estudantes de cinema que queiram participar do festival. Aleques Eister (foto), coordenador do projeto, conta que foram realizados dez filmes com esse apoio, e explica as etapas de seleção do roteiro:

– Inicialmente, 12 roteiros são escolhidos para participar da oficina de Roteiro Sal Grosso, de onde, no fim do FBCU, um deles será escolhido para ser produzido. O filme originado do roteiro será gravado ao longo do ano e exibido no festival seguinte.

Professora do Departamento de Comunicação Social, Denise Lopes enxerga o FBCU como uma oportunidade de os filmes feitos em universidades terem maior projeção. Ela acrescenta que a participação pode ser proveitosa para se ter uma “ideia melhor do que esperar do mercado” e para trocar experiências.

A internet torna-se uma grande aliada para a integração crescente entre organizadores, participantes e público, observa Marcelle Morgan, responsável pela atividade do FBCU nas mídias sociais. Ele explica que o microblog Twitter serve para o esclarecimento de dúvidas e a rede social Facebook, para divulgar a programação do festival.

– As redes sociais ajudam muito nas dúvidas. Como eu passo muito tempo online nessas ferramentas, fica mais prático tanto para mim quanto para o público. Os eventos no Facebook, por exemplo, deram maior visibilidade às oficinas.

Serviço

Para ver a programação do Projeto Sal Grosso, tal qual a de outros projetos, informações detalhadas sobre os filmes e muito mais, basta entrar no site do FBCU. Pode-se acessar o Twitter @FBCU ou adicionar o perfil do Festival no Facebook em caso de dúvidas.