Projeto Comunicar
PUC-Rio

  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram

Rio de Janeiro, 24 de setembro de 2017


Variedades

Ex-aluna da PUC cria projeto solidário nos Estados Unidos

Ligia Lopes - Do Portal

28/02/2012

 Arquivo pessoal

“Quero enfeitar a vida das pessoas, torná-la mais leve”. É assim que Carolina Arêas, de 43 anos, explica o projeto Word Rocks, que desenvolveu junto com seu filho, Antônio Monteiro, de dez anos.  Há quatro meses, a dupla espalha pedras com mensagens positivas pela cidade de San Diego, Califórnia, onde moram. 

Formada em Engenharia e Jornalismo pela PUC-Rio, Carolina saiu do Rio de Janeiro para acompanhar as ofertas de trabalho do marido e hoje trabalha como colaboradora na Revista Personare e como terapeuta floral. Moraram em Toronto, no Canadá, por três anos e meio e, um ano atrás se mudaram para os Estados Unidos. Apesar de gostar da qualidade de vida que a família tem no exterior, Carolina sente falta do Brasil. Nas caminhadas na praia, passou a recolher pedras escondidas pela areia perto do mar. Começou a escrever mensagens inspiradoras para si mesma, até que seu filho teve a ideia de expandir o projeto:

– Eu acho que ninguém precisa ter muito da mesma coisa. Quando vi as pedras da minha mãe, eu disse que ia ser bacana espalhar pela cidade para dividir com os outros. Queria que, se alguém estivesse triste, ficasse feliz se achasse uma pedra – conta Antônio.

Também partiu de Antônio o nome do projeto, aproveitando o duplo significado de rocks, que além de pedras, indica algo muito legal. Com esse jogo de palavras, o projeto Word Rocks significa ao mesmo tempo "pedras de palavras" e "palavras são legais", em tradução livre.

 Arquivo pessoal As pedras são espalhadas em lugares diversos – postos de gasolina, parques, cinemas, bibliotecas, supermercados – com mensagens inspiradoras (palavras, expressões, trechos de músicas) com o objetivo de passar para as pessoas “um pouco de poesia”, define Carolina.

– Existem umas palavras que considero naturalmente perfeitas e inspiradoras, como amor, bênção e felicidade. Muitas outras vão surgindo de acordo com a inspiração do dia. Estou num momento de escrever muito sonhar e seja feliz. Meu filho traz expressões da garotada da idade dele. E, às vezes, ouço ou leio alguma coisa que me parece interessante.

A jornalista começou a trabalhar com terapia floral por se interessar pela visão integral do ser humano, e sempre buscou formas alternativas de tratamento. Na Revista Personare, escreve artigos sobre autoconhecimento, harmonia, florais e bem-viver.

– Eu tenho um olhar muito atento para o outro, que tanto pode ser alguém próximo quanto alguém que jamais irei conhecer, e acho que, naturalmente, passei isso para o Antônio. Sou daquelas que acreditam que um exemplo vale mais do que mil palavras.

 Arquivo pessoal/Diana A ideia é que a pedra certa encontre a pessoa certa no momento certo. Atrás das pedras está o endereço do site, o que fez o projeto “sair de um perfil orgânico para um viral”. Quem as encontra entra no site Word Rocks e é convidado a compartilhar sua história, contando como a pedra o atingiu ao ser encontrada. Entre as histórias que mais emocionaram Carolina está a da chinesa Diana.

– Ela chegou há pouco tempo em San Diego. O namorado partiu para passar um tempo longe e, no dia seguinte à partida dele, ela foi caminhar para tentar espantar a tristeza e encontrou uma pedra escrita “amor”. Além de a palavra ter sido perfeita, ela leu aquilo como um sinal do universo dizendo a ela que, apesar da distância, o amor deles é sólido como uma rocha. Achei lindo – lembra.

Já para Antônio, a história mais legal é a do menino Jayden:

 Arquivo pessoal/Jayden – Ele quer ser um explorador quando crescer, e achou duas pedras em lugares diferentes. A primeira foi “brincar”, que ele achou num playground. Ele gostou tanto que ficou com muita vontade de encontrar outra. Duas semanas depois, num lugar diferente, encontrou a pedra “fé”. Eu acho que ele teve tanta fé que ia encontrar outra pedra que acabou encontrando mesmo.

A repercussão foi tão grande que o projeto ganhou parceiros ao redor do mundo. Recentemente, Carolina deu uma entrevista para o jornal diário Publico, de Portugal.

Word Rocks tomou uma dimensão ainda maior quando o marido de Carolina, o executivo Paulo Monteiro, montou uma apresentação sobre o projeto no escritório onde trabalha. O dono da empresa ficara sabendo do projeto e convidou o casal a apresentá-lo a todos os funcionários. Carolina conta que a reação das pessoas foi surpreendente: "Os chineses ficaram empolgados, os latinos disseram palavras doces e os ingleses, mesmo mais sérios, se envolveram com o trabalho".

Para ela, é uma enorme e linda surpresa o Word Rocks ter atingido tanta gente:

– É uma alegria muito grande ver que uma ideia nossa foi capaz de cruzar fronteiras e tocar o coração de tanta gente. E eu tenho um orgulho enorme de ter sido do meu filho a ideia de espalhar as pedras e estas palavras positivas por aí.