Projeto Comunicar
PUC-Rio

  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram

Rio de Janeiro, 29 de maio de 2017


Mundo

Manchetes mundo afora registram derrota

Gabriel Camargo - Do Portal

09/07/2014

 Reprodução

Foi em tom de respeito e exaltação da própria seleção que os principais jornais da Alemanha noticiaram nesta quarta-feira, 9 de julho, a histórica vitória sobre a seleção brasileira. O mesmo não se pode dizer dos diários argentinos, que, como habitualmente, trataram de provocar os brasileiros.

Um dos jornais de maior tiragem da Europa, o alemão Bild (link) estampou uma foto da comemoração alemã tomando toda a capa e o título “Sem palavras”. Já o Berliner Kurier avisou aos seus leitores: “Compre este jornal para os seus netos”, também com a capa tomada pela comemoração de um dos gols do 7 a 1 sobre o Brasil.

O Berliner Morgenpost fez referência ao Milagre de Berna, quando os alemães conquistaram sua primeira Copa do Mundo, em 1954, ao vencerem a Hungria por 3 a 2, de virada, na capital suíça. Abaixo do título “Milagre de Belo Horizonte”, o jornal também colocou uma foto de cada um dos oito gols da partida contra o Brasil.

 Reprodução Já os jornais argentinos enfatizaram o vexame brasileiro dentro e fora de campo. O Clarín estampou “Brasil, humillado” e destacou a “furiosa reação” de brasileiros que queimaram 23 ônibus em São Paulo e deixaram 25 feridos em Belo Horizonte. O diário Olé, conhecido pelas provocações e sátiras em suas capas, estampou uma foto do treinador da seleção brasileira, Luiz Felipe Scolari, fazendo o número sete com as mãos e o título “Hexa + 1”, além de destacar a derrota como “Pior do que o Maracanazzo”, em referência à derrota brasileira no Maracanã em 1950, para o Uruguai.

O francês L’Equipe, do país dos algozes nas Copas do Mundo de 1986, 1998 e 2006, resumiu: “Inacreditável”. O norte-americano New York Daily News fez trocadilho: “Braz-Hell!”, referência ao inferno pela goleada sofrida. La Gazetta Dello Sport, da Itália, estampou a foto de dois torcedores brasileiros tristes ao lado dos jogadores alemães comemorando, com o título “Todos tristes” e, abaixo, “Os alemães, de forma bonita e cruel, colocam um país no drama”.