Projeto Comunicar
PUC-Rio

  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram

Rio de Janeiro, 18 de agosto de 2017


Cultura

'O Mambembe': novo musical de Rubens Lima Jr

Carolina Ernst - Do Portal

19/04/2016

 Divulgação: Bianca Oliveira

A peça O Mambembe, de Artur Azevedo e José Piza, ganha vida a partir da próxima quinta-feira, dia 28, na Sala Paschoal Carlos Magno, o Palcão da Unirio, sob a direção de Rubens Lima Junior, responsável pelos sucessos O jovem Frankenstein e The book of Mormon, que teve o maior público no Rio de Janeiro em 2014: 55 mil espectadores. A entrada é gratuita, com distribuição de senhas uma hora antes de cada sessão.

Professor do Departamento de Interpretação da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (Unirio), Rubens Lima Júnior coordena o Projeto Teatro Musicado, no qual pesquisa diferentes gêneros de musical – ópera rock, musical nacional e comédia musical. Agora, Lima Júnior retoma o estudo sobre o teatro musical brasileiro, que pretende desenvolver pelos próximos três anos.

– Artur Azevedo foi uma escolha óbvia, porque foi praticamente o criador do teatro musical no Brasil – justifica.

A trama de O Mambembe se dá a partir da sonhadora Laudelina, mocinha da história, cujo maior desejo é ser atriz. A personagem se envolve com um grupo teatral mambembe, que faz paródias de melodramas e critica as relações sociais. O papel de Laudelina será revezado por Roberta Monção e Giulianna Farias.

O processo de montagem começou em setembro de 2015, com audições abertas para alunos de universidades federais. Assim que o elenco foi selecionado teve início o processo de preparação e ensaio. O texto foi adaptado por Alexandre Amorim, que, em parceria com o diretor musical Guilherme Menezes e o produtor musical Gabriel Gravina, compôs também as músicas. Alexandre e Rubens trabalham juntos no Teatro Musicado desde a montagem de Rocky Horror Show, em 2010. A responsável pela Direção de Arte e Cenografia é Cris de Lamare, e a Direção de Produção fica a cargo de Marcus Brandão. Já a coreografia é de Gabriel Demartine.

Representada pela primeira vez em 1904 e depois apenas em 1959, Rubens aposta nesse intervalo como atrativo ao público:

– Quando a peça estreou teve um grande reconhecimento da crítica, mas não de público, que só redescobriu o espetáculo com a montagem de 1959, com Fernanda Montenegro como protagonista. A nossa cria uma expectativa na classe teatral; muita gente tem curiosidade de como vai ser.

A peça, que conta com patrocínio da Fundação Cesgranrio, do professor Carlos Alberto Serpa, e apoio da Unirio, terá sessões no Palcão da Unirio às 21h de quinta a segunda-feira e às 20h, no domingo. O ingresso é gratuito. O sistema de senhas é o seguinte: três horas antes do espetáculo, caso haja fila pré-formada, serão distribuídas pré-senhas. As senhas/entradas são distribuídas uma hora antes do espetáculo. A produção informa que as pré-senhas não garantem a entrada: é preciso estar presente na hora da distribuição das senhas para que trocar a pré-senha pela entrada. Nas montagens anteriores, as filas chegavam a começar até seis horas antes do espetáculo.