Projeto Comunicar
PUC-Rio

  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram

Rio de Janeiro, 22 de agosto de 2017


Campus

Empreendedorismo digital requer ideias e iniciativa

Yasmim Restum - Do Portal

05/10/2015

 Paula Bastos Araripe

Atuante desde 1993 no mercado publicitário, Patricia Marinho deixou a rotina de agência quando nasceu a filha caçula, Gabi, em 2013. Mas logo transformou as brincadeiras do dia-dia com Gabi e Carol, de 9 anos, em negócio, ao criar o site Tempojunto, voltado para famílias com filhos pequenos. Há um ano e meio, Patricia começou com um blog, que migrou para um site, e agora chega às livrarias com a versão impressa de Tempojunto (Matrix, 2015). Em bate-papo com estudantes de comunicação da PUC, a publicitária destacou que, mesmo que um negócio seja pequeno, a partir de uma ideia e de uma iniciativa é possível se destacar no mercado:

– Eu tive uma ideia e criei um blog, no qual falo sobre a minha experiência de uma forma original. Esse conjunto de fatores atrai os anunciantes. Conversei com amigos e fui atrás de empresas que poderiam ter interesse em fazer parcerias. Já bati na porta e liguei para marcar conversas com empresas com cinco ideias de produtos diferentes na cabeça, a partir do Tempojunto, e saí de lá com cinco orçamentos – contou Patricia, estimulando os estudantes a saber identificar demandas – ela produz conteúdo de desenhos para a HP, por exemplo – e aproveitar todas as oportunidades de aprender: – É pelo contato com outros profissionais que eu consigo crescer.

Na opinião de Patricia, estar atento e presente nas redes sociais é fundamental quando se tem liberdade na produção do conteúdo. Mais do que postagens, o sucesso no meio virtual requer estratégias de proximidade com o cliente, afirma:

– Postamos um vídeo no Youtube por semana, duas vezes por dia no Instagram, cinco posts por dia no Facebook e sempre atualizo meu Twitter. Agora estou adorando o Pinterest, santo Pinterest! Mas não pode mais existir um monólogo da empresa, e os consumidores serem desconhecidos. Os pilares são diálogo com o consumidor, a construção de um relacionamento e um público atuante. Eu aplico 100% do que eu estudei sobre marketing direto: são mantras da publicidade, como condensar informações em poucos segundos, falar com o cliente como se estivesse falando com um amigo. O segredo está no marketing direto.

Leia também: Fleury Filho: "Conteúdo precisa de distribuição"

Formada pela PUC-Rio, Patricia tem duas estagiárias estudantes do curso – como ela mora em São Paulo, as reuniões e o trabalho em equipe são concretizados em reuniões por chat. Patricia afirma que a contribuição das meninas para o Tempojunto é imprescindível: “Foi Amanda que fez todo o layout do site, que ainda era um blog”.

Amanda acrescentou sobre o seu aprendizado:

– Nem sempre estagiar numa empresa grande dá o retorno que você quer. Eu tive autonomia para pesquisar e estudar estratégias digitais para aplicar no site. Quando eu entrei no curso de publicidade, tinha muitos amigos que queriam estagiar na L’Oréal, na Tim e em outras empresas grandes. Mas tudo que aprendo com a Patricia e que faço para o site me faz crescer muito mais tecnicamente.

Patricia ainda comentou sobre as estratégias para sobreviver no mercado com produção independente, e frisou a importância de sempre estudar todas as mudanças:

– A primeira coisa é se organizar. Agora estou gastando minhas economias para investir nesse projeto. Eu identifiquei uma demanda: uma pesquisa do Ibope, em parceria com a Fundação Maria Cecília Souto Vidigal,  constatou que 19% dos brasileiros consideram importante brincar/passear para o desenvolvimento infantil. Eu queria passar mais tempo com as minhas filhas, e os mercados tradicionais não estarão aqui daqui a pouco. Além disso, quando você é bom, as marcas vêm até você, eu estou fazendo parcerias com vários nomes legais no mercado. Escrevo no Catraquinha sexta-feira, por exemplo.

Leia também: Aydano Motta: "Crise não é da mídia, é das empresas de mídia"

 Divulgação Patricia lançou seu primeiro livro, Tempo Junto, na Livraria Cultura de São Paulo, já à venda na Livraria da Travessa do Rio. “Por mais que a internet cresça, livro tem credibilidade”. Ex-publicitária da agência de marketing FCB Global, ela reconhece sentir falta do salário. Mas considera que o mais valioso é o tempo:

– Tenho um trabalho que muitas pessoas adorariam ter. Diante da rotina agitada, eu precisava encontrar uma forma de estar perto das minhas filhas, de participar do desenvolvimento delas. Eu precisava parar de reclamar que não tinha tempo para, então, encontrar um tempo: o tempo junto. Mesmo tendo vivido o glamour da profissão, das festas nas agências de publicidade, e de ter tirado foto com Pelé e outras celebridades, o que realmente me atrai é a arte de contar histórias que toquem o consumidor.

Assista na íntegra à palestra "Parceria entre publicidade e jornalismo"