Projeto Comunicar
PUC-Rio

  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram

Rio de Janeiro, 17 de outubro de 2017


Campus

Aydano Motta: "Crise não é da mídia, é das empresas"

Bárbara Chieregate e Luisa Oliveira - Do Portal

21/02/2016

 Reprodução

“As empresas de mídia não sabem se comportar na era digital”, afirmou o jornalista Aydano André Motta, que esteve na PUC-Rio na última terça-feira, para conversar com alunos de Introdução ao Jornalismo sobre o futuro da profissão e novas formas de conteúdo midiático. Aydano completa 30 anos de profissão, 21 deles no Globo, onde trabalhou em País, em Esporte, na coluna de Ancelmo Gois e no extinto produto para tablets Globo a Mais –, e com passagens pelo Jornal do Brasil e pela revista Veja. Brincou com o fato de um demitido ter sido convidado a dar palestra – ele deixou o Globo em setembro – e defendeu que o que falta ao jornalismo hoje é a reportagem, sua alma:

– O que está faltando é jornalismo de qualidade. As nossas empresas de mídia estão presas a práticas totalmente ultrapassadas. Os grandes jornais que possuem versão on-line não produzem conteúdo, simplesmente alteram a notícia que já está na rede. A crise não é da mídia, é das empresas de mídia. As empresas tradicionais não acreditam o suficiente na era digital. A Folha, por exemplo, com a TV Folha, produz um bom conteúdo, mas é esporádico, fazem por fazer – afirmou, mencionando como bom exemplo de reportagem o perfil de Marco Acher, brasileiro que traficava drogas na Indonésia, publicado no Diário do Centro do Mundo.

Leia também: Fleury Filho: "Conteúdo precisa de distribuição"

Embora tenha certo pessimismo em relação à produção de conteúdo pelos jornais tradicionais, Aydano mostrou alternativas para o jornalismo na revolução digital. Para ele, o Buzzfeed é um dos canais que fornecem conteúdo de forma criativa:

– Meu exemplo predileto de ideia criativa jornalística é o Buzzfeed. Isso é jornalismo. Ele foi criado em 2006 como um laboratório. Era uma tentativa meio de humor, piada, e o sucesso foi tamanho que resolveram migrar para matérias sérias, ainda nesse estilo. O Buzzfeed fundou um estilo de texto, e eles conseguiram reproduzir o modelo em vários países.

Leia também: "XD é o primo caçula do Extra, o amigo engraçado do Twitter"

O jornalista também comentou sobre plataformas de conteúdos independentes como o Medium, que pode ser usado para publicar textos autorais de diversos assuntos. Na opinião do jornalista, “é um mundo novo, mais autônomo”:

– É preciso ter ideias. Se dois amigos, um jornalista e outro engenheiro, querem fazer algo juntos, façam. Se outro quer começar um jornalismo por vídeos, comece. O caminho é esse. Para fazer o que se quer, é preciso fazer por conta própria. Este é o maior desafio.

Assista à íntegra da palestra de Aydano André Motta.