Projeto Comunicar
PUC-Rio

  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram

Rio de Janeiro, 27 de junho de 2017


Revista Eclética nº 41 completa

Theo Mendes - Da sala de aula


  Em 2015, uma palavra estampou as capas de revistas, jornais e ganhou destaque no bojo das discussões sociais: crise. Este foi o termo utilizado — e talvez o mais correto — para descrever o ano que vivemos no Brasil e no mundo. O uso em larga escala dessa palavrafoi impulsionada, principalmente, por dois fatores: a maior crise migratória desde o fim da II Guerra Mundial e o cenário instável na política e economia brasileira: se os 20 anos são sempre um ponto de inflexão na vida das pessoas, o que tem de mais novo na música e na televisão balançam a hegemonia de gravadorase veículos tradicionais. Uma quebra também nos padrões sociais de gênero e na visão romantizada do futebol tupiniquim. Um cenário de pessimismo assolou a sociedade e desestimulou setores da economia.Mas será que tudo pode ser considerado, de fato, crise?Nesta edição, oferecemos aos leitores uma revistaque nos ajude a pensar e compreender os significados desse fenômeno, ao que podemos atribuí-lo e também refletir caminhos alternativos.A crise representa uma ruptura, mas nem tudo se resume a ela. É preciso lembrar que é desse processo que nasce a transformação.Nosso objetivo, portanto, é apresentar possibilidades para o leitor se aprofundar nos assuntos que têm sido tratados como crise pelo senso comum e, a partir disso, incentivar reflexõespara que cada um seja capaz de fazer da crise uma nova oportunidade.

Revista Eclética nº 41 completa

Três telas, um espectador

- Da sala de aula

Três telas, um espectador


Os arautos da crise

- Da sala de aula

Os arautos da crise


Crise é mais complicado do que parece

- Da sala de aula

Crise é mais complicado do que parece


Crise do futebol brasileiro

- Da sala de aula

Crise do futebol brasileiro


Para além do masculino e feminino

- Da sala de aula

Para além do masculino e feminino


Bem mais que meus vinte e poucos anos

- Da sala de aula

Bem mais que meus vinte e poucos anos


Navegar é preciso. Viver, também

- Da sala de aula

Navegar é preciso. Viver, também


Mercado fonografico

- Da sala de aula

Mercado fonografico


Crise e oportunidade

- Da sala de aula

Crise e oportunidade


+ Revistas

Edição: